A BÍBLIA DEMON’S [TRADA] -Versão do Diretor

 

NA ARCA
 
 
 
Na Arca Nãoé conversava com seu filho SEM(tado), também chamado, segundo a situação, SEM(coragem), SEM(iniciativa), que assim fora denominado por inspiração Divina, uma vez que Deus sabia de antemão que quando ele estivesse na arca ele estaria sempre SEM(ânimo) para fazer nada.
 
 
1.       Papai!
2.      O que é meu filho?
3.     É certo que tenhamos deixado tantos casais de animais por embarcar? Não temes que o Senhor Deus de nossos ancestrais descubra e nos castigue?
4.     SEM (noção), meu filho, olha à tua volta. Mal podemos nos mover. Se me viro para um lado recebo na cara uma baforada fedorenta de alguma fera, se me mexo pra outro lado tenho a bunda espetada por chifres de algum outro bicho! Como tu querias que eu seguisse à risca as determinações divinas e embarcasse todos os animais?
  1. Isso lá é verdade… Ui! [grita SEM(argumento) ao levar um coice de um veado que estava junto a ele].
  2. Por falar nisso, papai pode ficar tranqüilo, que eu matei aquele casal de Pica-Paus e o casalzinho de Cupins também, como me recomendastes!
  3. Muito bem. Mas meu filho, eis que já é noite e chegada é a hora de tornarmos para perto de nossas esposas. Eu por meu turno to que não me agüento, pois depois de passar o dia inteiro assistindo estes animais copulando sem trégua, to doido pra “chegar junto” na velha!
  4. Eu também, veio, vamos lá!
  5. Então até amanhã SEM (sono), meu filho.
 
 
E dizendo isso, NÃOé, começou a se arrastar por cima do dorso dos animais amontoados por toda parte na Nave, e ia ouvindo os seus grunhidos, piados e rugidos, enquanto passava em cima deles.
 
 
 ***
[NÃOé acordando ao lado de sua mulher, ambos rodeados por muitos animais].
 
Na manhã seguinte NÃOé foi despertado pela barulhada dos bichos e pelo jato de vômito que sua mulher despejava-lhe em cima.
 
 
1.     Arrrghhhh! Credo, o que é isso, mulher?!
2.     Ai, ai, ai, me desculpe, meu marido, mas não agüentei segurar. Não posso mais suportar isso aqui! Este barco sacolejando sem parar, este fedor terrível de fezes e urina dos animais, a própria catinga que sai deles, esta barulheira dos infernos que eles fazem, dia e noite, sem um minuto de silêncio! Ai, ai, ai, porque você foi nos fazer embarcar? Eu preferia ter morrido!
3.     Não blasfemes mulher!
4.     Blasfemo, blasfemo, blasfemo o tanto que eu quiser seu velho desgraçado! E como se não bastasse todo este meu sofrimento, ainda tenho que agüentar você em cima de mim toda noite, dizendo que não pode evitar, porque fica excitado vendo estes animais safados se cobrindo o dia inteiro! [gritava a mulher, ensandecida]. Você devia se envergonhar seu imprestável! Seiscentos Anos e essa merda não amoleceu ainda!
5.     Ué, eu devia é ter orgulho então, ih, ih. Ih.
6.     Você se ri, né, mas você me paga! Ô sina minha, viu! Ah, mas ainda vou orar, fazer novena, pagar promessa, sair em procissão, qualquer coisa eu faço pra que Deus atenda o meu pedido e faça o Varão amolecer e perder suas forças de uma vez, no máximo, quando muito, ali pelos setenta anos. Eu sei que não vou viver pra ver estes dias felizes, mas no futuro todas as gerações de mulheres me chamarão Bem-Aventurada! Desapareça daqui, suma de perto de mim seu velho fedido! E me escute bem, a partir de hoje se quiser saciar seu instinto baixo vai ter que ser com um destes bichos aí que são tão tarados quanto você. Se te aproximares de mim de novo, esta porcaria que tens aí entre as pernas vai virar ração pras galinhas![Gritava a mulher de NÃOé, enquanto brandia um facão afiado apontando para o membro do marido, ao mesmo tempo em que o fuzilava com o olhar raivoso].
7.     Ta bom, querida, ta bom. Mas não fique tão nervosa. Veja, nós só estamos na Arca há alguns dias e Deus disse que só de chuva seriam quarenta dias e quarenta noites. Pelos meus cálculos, até passar a tempestade e a enchente abaixar, acho que vamos ficar aqui mais ou menos um ano. Você vai regular este tempo todo, velha?
8.     Velha é a meretriz da senhora sua mãe! Ordinário, traidor, você falou que seria pouco tempo. Eu não queria vir e você me enganou!
9.     Mas meu amor.
10. Meu amor tua avó![avançando pra NÃOé, balançando a faca].
11.  Mas você teria morrido.
12.  Estaria muito melhor morta do que sepultada viva nesta tumba navegante, nesta latrina gigante! Ai, ai, ai não agüento mais, não agüento mais![berrava desferindo golpes no ar com o facão, tentando atingir as galinhas que ciscavam ali por perto].
 
 
NÃOé, assustadíssimo, afastou-se rapidamente rastejando-se por sobre os animais, até ir parar no lado oposto ao que a sua mulher se encontrava. No caminho ia afundando os pés, as mãos, ou às vezes caía de cara nos excrementos amontoados nos minúsculos espaços entre os corpos dos bichos. À medida que ele passava, os animais iam se afastando e movimentando-se. NÃOé reclamava então:
 
1. Aí de mim Senhor. O que fostes arranjar para o teu fiel servo Nãoé! Tu és Deus ou não é?! Não podias simplesmente ter estalado os dedos ou assoviado, e assim, transformado os homens maus em homens bons? Porém, se querias preservar o livre-arbítrio, não era mais fácil fulminar os maus como o raio faz com a árvore? Acaso não és tu maior e mais poderoso do que os raios? Ou não podia ter dado cabo deles com um discreto ataque cardíaco nos seus próprios leitos, não seria pelo menos mais humana, quero dizer mais Divina, esta maneira, do que deixar que todos se afogassem. Porque, meu Deus, por quê?!?
 
 
E assim transtornado, NÃOé, perdeu os sentidos e caiu entre um casal de camelos que o observava enquanto ruminavam indiferentes.

A BÍBLIA DEMON’S [TRADA] -Versão do Diretor

 

NÃOé, O SORTUDO
 
 
[Deus esperando em um cruzamento de trilhas].
 
 
 
 
1.     NÃOé!
2.     Quem me chama?!
3.     Sou Eu NÃOé, o Deus dos teus pais!
4.     Dos meus pais?
5.     Sim, e seu também NÃOé, o deus de todos.
6.     Ah, é o Senhor? O Deus de meus pais, o único Deus? Aquele que nossos pais nos ensinam a amar, sem conhecermos, nos dizendo que só ao Senhor devemos adorar e que todos que adoram outros deuses estão condenados, mesmo que outros deuses não existam além de ti? Aliás, nunca entendi isso muito bem, Senhor. Como se pode adorar a outros deuses se eles não existem? Mas o Senhor também nós nunca vemos, assim como não vemos os outros deuses que não existem, mas sabemos por nossos pais que tu és verdadeiro e os outros não, e agora confirmo isso, pois o estou vendo, e concluo que meus pais estavam certos!
7.     Pois é, sou Eu mesmo NÃOé.
8.     O que me ordenas meu Senhor?
9.     NÃOé, eu resolvi tacar fogo, ou melhor, água, nisso tudo aqui. Tudo o que existe na superfície da terra vai morrer, não vai sobrar nadinha pra contar história!
10. Por misericórdia Senhor, não faz uma barbaridade desta!
11. Acalme-se homem. Você e sua família serão poupados.
12.  Ah, é?
  1. Sim, NÃOé, pois eu fiz um sort.. ãh, ãh… Quero dizer, eu consultei meus arquivos de registro das ações e dos pensamentos dos homens, e confirmei lá que você é…é…o único justo! [apontando para NÃOé].
  2. Eu, senhor?!! [pergunta apontando para si mesmo ao mesmo tempo em que olha para trás para ver se Deus se refere à outra pessoa].
  3. Sim, você mesmo.
  4. KÁ, KÁ, KÁ!
  5. Do que ristes NÃOé? Acaso você não é NÃOé, o justo?
  6. Não Senhor… quero dizer, sim, sim, sou eu mesmo, NÃOé, o justíssimo! Desculpa aí, eu sou sim o NÃOé, estou rindo de satisfação, de saber que valeu a pena eu sempre andar segundo os teus preceitos!
  7. Ah bom, então ta.
  8. Mas Senhor.
  9. O que é?
  10. Isso é realmente necessário acontecer? Quero dizer… Esta destruição de tudo? Sabe como é aqui eu ‘já estar estabelecida’, ‘tenho minhas negocio’, ‘começar da zerinha de novo, vai ser muito difícil’! ‘NÃOé vai ter muita prejuízo’!
  11. Infelizmente tem que ser assim NÃOé, não tem outro jeito não.
  12. O Senhor é que é mesmo o mesmo Deus dos meus pais, avós e todos os meus antepassados, não é? Não ta querendo passar a perna em NÃOé, não, não é?
  13. Claro que EU sou o Eu sou, duvidas? [ameaçando com o dedo a soltar algum raio ou coisa parecida].
  14. Não, não Senhor, longe de NÃOé duvidar de ti. Mas eu só estava pensando aqui com ‘as minhas botões’: um Deus tão poderoso como o Senhor, bem que podia acabar com as coisas de uma forma mais seletiva, não acha? O senhor podia olhar lá nos seus registros e acabar com a raça só dos que não valem um odre de vinho podre. Eu sei que ainda assim ia ser gente pra chuchu, mas assim NÃOé podia manter ‘suas terrinhas” e ‘suas rebanhos’, ‘plantações’, ‘tendas’, ‘ouro’, ‘ai. ai. ai NÃOé vai perder tudinha!’.
  15. Cala a boca! Fecha logo esta matraca, antes que eu me arrependa de tê-lo escolhido!
  16. Ta bom senhor, calma, calma… mas o Senhor não tem muitas opções não, não é, já que NÃOé é o único justo, como o senhor falou.
  17. Bem, vamos ao que interessa. Ouça com atenção as minhas instruções. Você vai construir uma Arca que ficará conhecida como a ‘Arca-de-NÃOé’. Ela deverá medir trezentos côvados de comprimento, cinqüenta côvados de largura e trinta côvados de altura. Quando a Arca estiver pronta, você e sua família colocarão dentro dela um casal de cada animal que existe no mundo, entrarão nela com os bichos, eu fecharei a porta pelo lado de fora e então mando o toró! Quando as águas abaixarem, vocês sairão da Arca com a bicharada e começarão a se multiplicar de novo para povoar outra vez a terra.
  18. [NÃOÉ, à parte:mas que trabalheira do cacete! Etâ planinho besta]! Ah, então ta facinho Senhor! Colocar um casal de cada bicho que existe na terra dentro desta Arca aí que nem vai ser tão grande assim, ta bom então. [irônico].
  19. Isso mesmo NÃOé, vejo que compreendestes bem minha idéia, és meu fiel servo, e veja, como o mundo conhecido é só este por aqui, pelas bandas do oriente, então a empreitada não é tão absurda como pode parecer.
  20. Não, não, não é não!
  21. Aliás, me lembrei de uma coisa agora. Como é que Andão, ao me questionar sobre a nomeação dos animais, já tinha conhecimento das terras além-mar? Sujeitinho esperto viu! E ele nem tinha comido da árvore do conhecimento ainda.
  22. O que senhor?
  23. Nada, nada não. Eu falava aqui com os meus botões também.
  24. Mas ainda assim é bicho pra mais de côvado Senhor!
  25. Eu sei que é, e por isso mesmo que vou dar uma mãozinha e mandar os bichos já enfileiradinhos para a porta da Arca. Você e sua família só vão ter o trabalho de dar um empurrãzinho neles pra dentro do barco.
  26. Ah assim é bem melhor! [com ironia]. Mas Senhor, os animais aquáticos também embarcarão?
  27. Ih, ih, ih… mas como você é idiota NÃOé, chego a me preocupar com a qualidade do intelecto da futura humanidade, por acaso animal que vive na água afoga? Ih, ih, ih!
  28. Uai, se afoga eu não sei. Acho que não. Mas será que não morrem ao se misturarem às águas-doces com as salgadas?
  29. ! ? …Bem… bem, deixa isso pra lá, agora toca construir a Arca, vai logo, NÃOé!
  30. Senhor posso fazer uma última pergunta?
  31. O que é desta vez, homem?
  32. Vai demorar muito tempo até a gente sair da Arca?
  33. Humm… Deixa-me ver… bastante, pois só de chuva vão ser quarenta dias e quarenta noites, por quê?
  34. Não, nada não, besteira.
  35. Ora pode dizer NÃOé, nada temas, pois que me agradei de ti e o escolhi.
  36. Bem, Senhor, é que eu tava só imaginando aqui onde é que a gente e esta bicharada vai cagar durante este tempo todo.
  37. Fooraaa daqui!

Assustado, NÃOé se precipita no mato, e desaparece aos olhos do Senhor seu Deus.

A linha

Havia numa galáxia distante um pequeno planeta. Seu globo de mil facetas e cores era dividido proporcionalmente em duas partes cortadas bem ao meio por toda sua circunferência. Naquele mundo havia norte e sul, numa rivalidade entre os dois estados, com seus habituais perde a ganha,

Continue lendo “A linha”