HAPPY FAMILY

A casa perfeita da família feliz recebia, de dois em dois anos, uma demão de tinta na parte externa e nos madeiramentos. A cada seis meses, dedetização e limpeza da caixa d’água. De 45 em 45 dias, o jardineiro para aparar a grama. Diariamente, a perua escolar e suas duas buzinadinhas regulamentares para buscar filhinho e filhinha.

Continue lendo “HAPPY FAMILY”

A BÍBLIA DEMON’S [TRADA] -Versão do Diretor

 

 
II
 
 [Campo. Tendas armadas. Saradah na porta de uma tenda, a certa distância ABRAÃOcagão conversa com Deus].
 
Deus fala sobre a descendência de ABRAÃOcagão. Chegam os três homens [que também são deus] Deus anuncia a destruição de duas cidades pecaminosas.Então três homens que eram ao mesmo tempo (ao que parece), Anjos e o próprio Javé, apareceram sob uma árvore perto da tenda de ABRAÃOcagão. O velho patriarca correu a arranjar lhes comida, pois reza o adágio: ‘anjo vazio não pára em pé’. Enquanto eles descansavam na sombra da árvore e o patriarca ia servindo o rango, Javé diz:
 
 
1.No próximo ano voltarei e sua mulher já terá um filho. 
 
 
 
Saradah que estava na entrada da tenda ouviu aquilo e pensou: “Agora que já sou velha experimentarei o prazer e com marido tão velho”?Javé, então, pergunta para ABRAÃOcagão:
 
 
1.Porque Saradah riu?
2.Ah é? Ela riu? Não ouvi nada, riu de que, Senhor?
3. Do que eu disse. Que no ano que vem ela já terá um filho.
4. Mas ela nem está aqui perto, Senhor.
5.  Ela ta ali, olha, na porta da tenda! [apontando com o dedo].
6. Ta com um ouvidinho bom, hem Javé?
7.  Eu adivinhei seu idiota, se não fosse à mentira que contou, não teria mudado o seu nome de ABRAbobão para ABRAÃOcagão! Ela pensou assim, ó: “será que vou dar à luz agora que sou velha?” – Ora, por acaso existe algo impossível para o Javé aqui?
8.  Acho que deve ser impossível para o Senhor escutar direito, ou adivinhar pensamentos corretamente [Diz Saradah se aproximando irritada], pois eu não ri e nem pensei isso!
9.    Riu sim! [fala Javé irritado]
 
10.Não ri. E, aliás, se vai adivinhar o pensamento dos outros vê se adivinha corretamente, pois o que eu pensei foi; “será que agora depois de velha vou provar o prazer? E com marido tão velho?”-Meus pensamentos não mencionaram nada sobre dar à luz, eu estava pensando em dar era outra coisa!
11.Só que eu adivinhei a verdadeira intenção dos seus pensamentos, mesmo que não tenha pensado nestas palavras.
12.Xiii, não vem que não tem não, deixe de moralismo, eu pensei foi ‘naquilo’ mesmo, olha que esta sua desculpa é furada, a emenda ta saindo pior do que o soneto. Nunca lestes nas escrituras que: “não se coloca remendo novo em soneto velho, pois o remendo novo pode estragar o soneto e nenhum dos dois sobrar”?
13.Saradah, não discuta com Javé nosso Deus!
14.Isso mesmo ABRAÃOcagão, mostre quem é que usa túnicas masculinas nesta casa! Por acaso ela não sabe que quem manda na mulher é o marido? E não adianta ela negar, pois ela riu sim!
15.Não ri não!
16.Riu.
17.Não ri!!
18.Riu, riu, riu!
19.Não ri, não ri, não ri!
20.Riu um bilhão de vezes!!
 
 
Então não dando mais atenção para Saradah, os três homens [que também deviam ser Javé, além de serem anjos também] se levantaram para ir embora e olharam para as duas cidades pecaminosas, e partiram para lá. Mas Javé ficou com ABRAÃOcagão. Então ABRAÃOcagão pensou: “realmente assim vai ficar difícil, no futuro, explicar que a nossa religião é monoteísta”. Mas, não obstante, Javé, já pensava em destruir as duas cidades pecaminosas, mas tinha uma dúvida e pensou: “será que devo esconder de ABRAÃOcagão, o que vou fazer”? E depois de muito pensar resolveu lhe contar e disse:
 
 
1.ABRAÃOcagão.
2.Aqui estou Senhor.
3.Eis que o clamor destas duas cidades é muito grande e o pecado deles é grave. Vou descer…
4.Mas já não está aqui, Senhor?
5.Psiuuu! Calado! Vou descer para ver se de fato as ações deles correspondem ao clamor que subiu até mim, então ficarei sabendo.
6.Ué está tendo novamente aqueles ‘brancos’ em sua onisciência Senhor!
7.É às vezes dá uns esquecimentos sim. Por isso acho melhor dar uma espiadinha de perto pra ter certeza.
8.Se o Senhor quiser conheço uma simpatia que é tiro e queda prá falta de memória-onisciente!
9.ABRAAÃOcagão, não sabes que não vos é permitido estas crendices de adivinhos, benzedeiras, isso é pecado!
10.Ah é, eu tinha me esquecido, desculpe Senhor.
11.Pois então, é o que eu ia dizendo, vou dar uma olhadinha pra ver se a situação corresponde ao clamor e se assim for destruo as cidades inteiras.
12.Mas Senhor, tu destruirás o justo com o injusto?
13.O que te faz pensar que existam justos naquelas cidades.
14.Ora, “elementar meu caro Watson”, se não houvesse justos ali, quem é que clamaria ao senhor? Lembre-se que me dissestes que “grande foi o clamor”, então muitos devem ter se unido pra clamarem ao Senhor.
15.Humm!?
16.Pois é. Então suponhas que tenha uns cinqüenta justos lá. Mesmo assim destruirá tudo e todos?
17.Se tiver cinqüenta não destruirei.
18.Senhor!
19.O que é?
20. E se não chegar a cinqüenta, mas tiver, digamos, uns quarenta e cinco?
21. Por causa destes pouparei as cidades.
22. Mas e se tiver só trinta?
23.Arre, aonde quer chegar com isso, homem? Não é necessário ficar repetindo a mesma pergunta assim.
24.É um método chamado de Maiêutica Socrática, nunca ouvistes falar?
25.Não, e nem me interessa. Se tiver trinta, vinte, ou mesmo apenas dez eu não destruo, ta bom assim pra você?
26.Certo, certo, mas, Senhor?
27.O que é agora, mas que coisa! [grita Javé impaciente]
28. Eu tenho conhecimento de que em uma das cidades tem pelo menos o meu sobrinho que mora lá. Aliás, ele tem esposa e duas filhas, são quatro pessoas ao todo, Senhor.
29.Ah não, isso não. Quatro pessoas só não, se são apenas quatro, eles que se mudem de lá. Vou dar um tempinho pra eles saírem e depois vou deitar fogo e enxofre em tudo e todos que estiverem lá!
30.? ! Vai entender. Cara mais caprichoso este Javé [à parte]. Bem, Senhor, então eu espero que aqueles homens que saíram daqui, que também são anjos, e são, ao mesmo tempo, o Senhor também, avisem meu sobrinho.
31.Mas foi justamente pra isso que eu os mandei irem até lá. Nem tinha percebido, mas a minha onisciência deu uma melhorada, viu só? Eu já sabia que seu sobrinho estava lá, antes de você me contar.
32.Nossa que bom né Senhor? Parabéns! [fazendo escondido gesto de girar o indicador do lado da orelha, como a dizer que Javé não está batendo bem dos pinos].

RELATOS LITERAIS: COR DE BURRO QUANDO FOGE

Reconheço de antemão que a comprovação de qual seja fielmente a cor do burro foragido continuará sendo uma das grandes interrogações do homem contemporâneo, de demonstração tão complexa quanto o último teorema de Fermat. Não é justo, entretanto, que me furte a trazer aos cativos deste espaço dois experimentos que se propõem, cada qual a seu modo, a elucidar a questão e quiçá lançar uma pá de cal sobre o assunto.

Continue lendo “RELATOS LITERAIS: COR DE BURRO QUANDO FOGE”