A paixão é rubra [ode à verdadeira fidelidade!]

é quando te sinto só meu que vejo o quanto ainda és dela
te amando em cada movimento te vejo vibrar mais com ela
e rubra de ciúmes antevejo teu sangue negro me amortecer
então vibro por ti, vibro por ela, louca de amor, pra te aquecer! é quando te sinto só meu que vejo o quanto ainda és dela
te amando em cada movimento te vejo vibrar mais com ela
e rubra de ciúmes antevejo teu sangue negro me amortecer
então vibro por ti, vibro por ela, louca de amor, pra te aquecer!

grito teu nome, gemo de dor, sussurro loucuras no pensamento
no calor da paixão me enlaço e te prendo, entôo cantigas ao vento
então me preenches e me fazes corar, meu amor, paixão verdadeira
não importa se és só meu, se és só dela: o amor não sabe barreiras!

e rompemos as madrugadas nesse frenezi pelas ruas, sujos de grama
ora dentro, ora fora, essa paixão nos pegou de assalto e cheia de gana
sabemos que somos um do outro até à distância, vejo que és meu norte
pois quando abro os braços te tenho inteiro, me dou inteira, e isso é forte!

por isso jamais nos vencerão como querem os donos do mundo, donos do ar!
somos três? não, somos muitos! somos um inteiro na crível coragem de amar
sem pudor, nos curtimos e nos completamos – unidos até a próxima geração:
amantes e torcedores, todos pelo SPORT – Leão do Norte – nosso bi-Campeão!