Tabela “Exclusódica”

Chegar ao 3º ano é a maior demonstração de coragem e força de vontade!
Para isso, é preciso ter muita persistência e, ao longo do tempo, domínio de
conhecimentos sobre diversas matérias. E, talvez, a que mais cobre
raciocínio dos alunos seja a Química. Aliás, aprender a formação e a origem
das coisas que fazem parte de nossas vidas (ao exemplo da tela do
computador, a televisão, o rádio, a luz, entre outras) é magnífico . Sem
contar que através do estudo químico, conseguimos ter a noção ampla de tudo
que acontece ao nosso redor… Aquelas dúvidas, tais como: “por que o azeite
e a água não se homogeneizam?”, “por que o nosso corpo precisa de ferro e
proteínas…?”, não nos chateiam mais! Mas, você já imaginou como é a vida
daqueles que nunca tiveram aulas de química? Como eles conseguem sobreviver
neste mundo que está cada dia mais químico? São excluídos…
É muito triste saber que, apenas, aumenta esta taxa de exclusão social. Os
homens, apesar de tantos avanços tecnológicos, parecem estar esquecendo a
grande lição que a tabela periódica lhes ensinou: “ELÉTRON POSITIVO COM
ELÉTRON NEGATIVO GERA ESTABILIDADE!”. Ou seja, não importa se o ser é
negro, pobre, vermelho, branco, feio, bonito, perfeito ou desengonçado…
Todos devem ter os mesmos direitos, o mesmo grau de escolaridade, pois só
assim se alcança a estabilidade e, consequentemente, a tão desejada paz.
Como eu já citei a “divina” tabela periódica, continuemos seguindo os seus
ensinamentos… Todos sabem, ou deveriam saber, que ela está dividida,
atualmente, em: Metais, Não-metais e Gases Nobres. Enquanto que há alguns
anos, a divisão era a seguinte: Metais, Não-metais, Semi-metais, Gases
Nobres. Afinal, por que pausar neste tópico? Simplesmente, porque esta é a
mais explícita amostra de que quanto menos divisão e exclusão houver, mais
fácil é de se lidar!
A sociedade é uma verdadeira tabela periódica, existem os grupos, as
famílias, os elementos… E, claro, os mais fortes. Os mais fracos. Os que
doam. Os que recebem. Os neutros. Transpondo para o nosso cotidiano,
poderíamos fazer uma ligação (não a química!) entre a classe média/alta e os
Não-metais. Assim, poderíamos fazer o mesmo entre a classe baixa e os
Metais. Quem sabe, até, entre os miseráveis e os Gases Nobres. Muitos podem
estar se perguntado o que é isso… Para responder, não entrarei em
detalhes, somente lembrarei que os Metais são aqueles que doam, os
Não-metais estão sempre recebendo, e os Gases Nobres não reagem para nada!
Enfim, está mais do que provado que a exclusão existe e não leva a
lugar nenhum. Os governantes deveriam se preocupar mais com esta exclusão
química. Aliás, imagine você se um ignorante, que não aprendeu os conceitos
químicos, vai até a farmácia à procura de um remédio para dor de cabeça…
Sem coragem para pedir ajuda ao balconista, ele percorre as prateleiras e,
mesmo analfabeto, reconhece as letras “As” em um frasco de remédio. Logo,
lembra-se que a caixa vazia que tinha em casa, também, tinha estas mesmas
letras (talvez fosse o comprimido AAS). Coitado, é um excluído! Mal sabe ele
que se tomar aquilo, irá morrer…

P.S.: “As” é o Não-metal mais tóxico da tabela periódica, usado em venenos
para ratos, chamado Arsênio.

25/09/2003