Tenho medo

Eu tenho medo de ver novos amanheceres, de sair à noite e de me apegar às pessoas que só nos fazem bem. Eu tenho medo doutor, eu tenho medo. Tenho medo dos sinais de trânsito, das madrugadas sombrias, dos quartos escuros que só nos ensinam a conhecer a dor. Por isto eu fujo da frieza perpétua daquelas salas de mármores, dos corredores silenciosos e das portas de indicam que "é proibido visitas". Continue lendo “Tenho medo”

Fim de caso

O apartamento está impregnado de sua presença. Em cada canto sua imagem aparece como se fosse presença definitiva em minha vida. Antes eu me perguntaria o que interessa tudo isso se aqui você já não está? O mais importante foi admitirmos que nossa separação possibilitou o fortalecimento de uma forte amizade. Passamos a cuidar de interesses comuns a ponto de ficarmos felizes com o sucesso do outro.

Continue lendo “Fim de caso”

Gestos…

As pessoas andam mesmo sem esperança, parecem não acreditar mais em nada. Hoje, porém, quero falar de coisas bonitas. Dizer que creio nos gestos que têm a força de inibir a descrença nas virtudes, que eliminam o egoísmo que se intensifica entre os homens e impedem que a força do mal prospere. Continue lendo “Gestos…”