Simplicíssimo

Falta a Janela

  Uma poesia motivada pelo jogo das palavras, sem rima, mas com um sentido único para cada pessoa que a lê e conforme a lê.

   Sem ônibus para ver ou concurso a se inscrever fica mais fácil unir palavras sem sentido, tornando-as algo único e poético.

   É o retrato abaixo: nada subjugado por algo que pode chegar em lugar algum de uma forma inconsciente, subserviente até, que pode torná-lo digno de uma janela.

História
Conto
Pra ti
Encontro
 

Mauro Rodrigues

Comente!

Deixe uma resposta

Siga-nos!

Não tenha vergonha, entre em contato! Nós amamos conhecer pessoas interessantes e fazer novos amigos!

Últimos Posts