Simplicíssimo

Das Órbitas Excêntricas

palavras são pequeninas,
poderiam ser boninas,
pra expressar
sem precisar explicar…

***

Inscrição

                        – Cecília Meireles

Sou entre flor e nuvem,
etrela e mar.
Por que havemos de ser unicamente humanos,
limitados em chorar?

Não encontro caminhos
fáceis de andar.
Meu rosto vário desorienta as firmes pedras
que não sabem de água e de ar.

E por isso levito.
É bom deixar
um pouco de ternura e encanto indiferente
de herança, em cada lugar.

Rastro de flor e estrela,
nuvem e mar.
Meu destino é mais longe e meu passo mais rápido:
a sombra é que vai devagar.

                ***
 


das órbitas excêntricas
  

por vezes fico indecisa
em meu canto bem quieta
reticente e imprecisa

fugidia e incompleta
só sondando o horizonte
flutuante e discreta

dos sonhos buscando a ponte
que vai completar o passo
e permitir que se monte

com os fatos o compasso
da intuitiva dança
que nos leve ao grande abraço
 

—————————————-
Referências :

– "Inscrição"  – Cecília Meireles, in Poesias Completas, Volume II, Mar Absoluto e outros poemas.
Rio de Janeiro, Civilização Brasileira, 1976, 2ª ed., p. 83.

– foto : Clarice Villac, janeiro 2011, Caraguatatuba, SP.
 

Clarice Villac

Comente!

Deixe uma resposta

Siga-nos!

Não tenha vergonha, entre em contato! Nós amamos conhecer pessoas interessantes e fazer novos amigos!