Simplicíssimo

Ler por Ler

Desde que me entendo por gente gosto de ler, sou daquelas movida por palavras. Tem coisa mais gostosa do que se ajeitar numa poltrona, abrir um livro e mergulhar naquele mundo de letras? Eu não consigo pensar em outra coisa.

Quando optei por fazer faculdade de Letras foi pensando na Literatura, eu me apaixonara por Literatura no Colegial (naquela época ainda não era Ensino Médio) e queria passar esse amor a outras pessoas. No entanto, cometi o erro de muitos professores, eu queria que os alunos gostassem dos cânones, lessem os Clássicos e gostassem. Ingenuidade.

Demorou um pouco para eu perceber que o incentivo a leitura não se faz com os Clássicos, eles são uma conseqüência do hábito de ler. Eu mesma não comecei com eles. Quando voltei de licença maternidade eu comecei a observar meus alunos, do que gostavam, os livros que carregavam. Acabei me surpreendendo, pois eles liam livros que eu considerava “porcaria” e nem me dava ao trabalho de ler por ser “literatura de segunda”. Meu preconceito me impedia de fazer esse trabalho com eles. Como eu poderia incentivar o hábito da leitura se eu nem sabia indicar um livro que fosse agradável a eles? Então resolvi me despir dos preconceitos e ler o que eles liam.

Eu me surpreendi. Foi como voltar às origens, foi agradável. Ler sem ficar preocupada com as entrelinhas, ler por ler. Ler sem pretensões de estudo, ler por prazer. Eu não fazia isso há anos e foi bom. O início de um estudo prazeroso e sem cobranças.

Só assim eu consegui entender um mundo do qual fiz parte, mas tinha esquecido. Vi resultados em alguns de meus alunos. Recomendei livros de acordo com o perfil de cada aluno, recebi recomendações de livros. Nesse momento não éramos professor e aluno, mas apenas leitores trocando experiências literárias.

Acabei percebendo que para tornar nossa sociedade leitora é preciso nos desvincular dos conceitos que criamos no mundo acadêmico e nos colocar de igual para igual com outros leitores. Não importa idade, formação ou condição social, todos são iguais perante um livro e somente tendo consciência dessa igualdade é que conseguiremos ampliar o hábito de leitura.

 

 

Lívia Ledier

Comente!

Deixe uma resposta

Siga-nos!

Não tenha vergonha, entre em contato! Nós amamos conhecer pessoas interessantes e fazer novos amigos!

Últimos Posts