Simplicíssimo

Por onde andarás, meu Deus…

Violentos Haikais 81/X
Vem mal encarado
mano é um assalto, alto lá
foi-se o dinheiro suado.

Faroeste 68/X
Idas e vindas
passeio de carro, maior agarro
é tu minha linda.
 
Ontem a noite eu estava conversando com um amigo que preparava máquinas de inteligência
artificial e estava explicando para ele o funcionamento de uma rede neural. Pois é, eu
estava bastante pretencioso… Eu explico. Estávamos trocando idéias sobre as maneiras
de se manter vivo.

Ele, praticante de yoga, dizia que a maneira mais correta era viver minuto a muinuto com a
máxima atenção possível, eu discordava, dizendo que a única maneira de fazer isto era através
da criatividade, pois de outra maneira, através da constante expansão de consciência, o resultado
seria o colapso geral do sistema.

Por outro lado, o excelente filme "Quem somos nós?" mostra que não exioste um centro de processamento geral no nosso processador central, o cérebro. Disto podemos fazer as seguintes reflexões:

a) não estamos preparados para entender o cérebro como um centro, pois acreditamos que uma pessoa, uma única coisa, deve ser o centro; desta forma, não enxergamos a pessoa fragmentada;
um conjunto diferenciado de coisas, como hoje percebemos o cérebro;
b) o cerebro está ramificado em todos os pontos do nosso corpo através dos neurônios, o que reforça a necessidade de centralização absoluta. Células extremamente fiéis que sempre repassam a informação da maneira mais fidedigna sobre a ótica da qual são capazes de entender. Como fazem parte do cérebro, tem a mesma ótica dele. Algumas vezes a informação chega distorcida, mas como foi gerada pela mesma entidade, não existe punição interna. (mentira – o próprio sistema se pune psicologicamente, mas não necessariamente imediatamente);
c) Torna-se possível entender Deus de forma descentralizada:
 I) Com a Internet as instâncias de poder estão fragmentadas. Poder = informação + controle;
 II) Hoje no mundo o poder está diluído, devido a necessidade do sistema autopoiético de manter sua continuidade; o que faz que o mundo apresente sempre uma tendência quase invisível de curva para a esquerda; para os céticos e capitalistas muito ferrenhos, explico: você que está lendo este texto vive muito melhor do que viveria um rei em 1850. A tecnologia e a necessidade
 de expansão do capital faz com que o dinheiro seja distribuido;
 III) O poder da igreja católica está diminuindo devido ao paradoxo da informação: para continuar no poder, você precisa mostrar que tem informação; como as suas informações são refutadas constamente; a igreja, como uma das maiores organizações é lenta na troca de paradigma (não vou discorrer sobre os porquês), desta forma não acompanha a evolução cultural;
 IV) existe uma nova religião tão forte quanto ela chamada ciência;
 V) A ciência funciona através de centros autônomos (os pesquisadores);
 VI) Coloque seus pensamentos nos comentários sobre Deus de forma descentralizada, você está faz parte desta rede descentralizada…

Este texto traz consigo uma inevitável relação com a teoria dos sistemas, por isto seria aconselhavel que se trouxessem novas formas de ver o mundo como os rizomas e outras que desconheço para que a curva para a esquerda seja rápida o suficiente para evitar o colapso no sistema.

De ré na contramão, a partir de agora auto-intitulado pensador para não ficar nem na ciência nem na religião.

Pedro Armando Furtado Volkmann

Comente!

Deixe uma resposta

Siga-nos!

Não tenha vergonha, entre em contato! Nós amamos conhecer pessoas interessantes e fazer novos amigos!