Simplicíssimo

Mar de amar

Quando sob meus olhos se balança o mar

 

De lágrimas, minha pele salgando vem

 

E na tormenta dessa maré de amar

 

Respingam lembranças de amar alguém.

 

Com os açoites de ondas se agitando

 

No infinito de águas em meu peito

 

Vem à tona destroços de amor boiando

 

Misturando-se ás brumas de meu leito

Priscila Magalhaes

Comente!

Deixe uma resposta

Siga-nos!

Não tenha vergonha, entre em contato! Nós amamos conhecer pessoas interessantes e fazer novos amigos!