Simplicíssimo

Como Chuva Passageira

Numa rua de altos e baixos,
Desvio meu olhar pra cima
Uma gota me encontra
E cai estilhaçada sobre mim
Passos a frente e quase tropeço.
Continuo com mais cuidado
Paro em algum lugar,
Observo e vejo:
Sem medos e sem culpas,
Só admiro um breve e lindo sorriso
Não, não é proibido
Vejo um rosto, longos cabelos
Uma pessoa parada na esquina esperando…
Esperando apenas a chuva passar
Estendo então minha mão no ar
Nada mais parece se molhar
Procuro então o que não acho mais,
Até quem sabe outro dia nublado,
Daqueles em que nada se espera.

Frank Santos

Comente!

Deixe uma resposta

Siga-nos!

Não tenha vergonha, entre em contato! Nós amamos conhecer pessoas interessantes e fazer novos amigos!