Simplicíssimo

Obra-prima

  À Cássia, que me faz sorrir sempre, mesmo quando não está comigo. 

  Os autores – também editores – da obra em questão fizeram um trabalho de primeiríssima qualidade. Jamais caiu em minhas mãos obra tão bela e de tamanho valor.

  Ela começou a ser desenvolvida há mais de duas décadas, quando os dois autores solitários – um casal – uniram-se para realizar sua concepção.

  Começos não são fáceis, e não seria diferente com eles. A obra foi publicada de forma prematura, foram forçados a isso, devido a algumas circunstâncias que nem Deus poderia explicar.

  Por conta disso, houve todo um cuidado especial com as primeiras edições. Mas ela foi alvo de várias revisões, talvez uma a cada três meses, não tenho os dados exatos. Nessas ocasiões, eles sempre corrigiam falhas e acrescentavam novidades à nova edição.

  O cuidado que tinham – e têm até hoje – com sua obra é um admirável. Depois do primeiro ano – foram quatro edições em doze meses – os autores finalmente se tranquilizaram. A partir dali, as edições seriam anuais. Revistas e ampliadas, sempre.

  O tempo passou e eles viram sua obra ganhar vida e transpor barreiras. Todos falavam muito bem dela, e os deixava muito felizes.

  Eu só ouvi falar nela quando já estava em sua 19ª edição. Não posso aqui ser insincero e dizer que fui arrebatado por ela assim que soube de sua existência. Estaria mentindo.

  Mas me interessei, é claro. Não a ponto de procurá-la de imediato. Isso só foi acontecer três edições depois.

  Foi quando a 22ª edição chegou em minhas mãos. E desta vez dediquei maior atenção à sua história. E ela me encantou como nenhuma outra obra fizera antes.

  Eu a consegui, depois de muito esforço, faz um ano e meio, mais ou menos. Tenho em minhas mãos a 24ª edição de uma obra-prima única e infinita.

  Que não divido com ninguém.

Rafael Rodrigues

Comente!

Deixe uma resposta

Siga-nos!

Não tenha vergonha, entre em contato! Nós amamos conhecer pessoas interessantes e fazer novos amigos!