Bibelôs

“Dilma declara orgulho por ter mentido a torturadores durante a ditadura.” Você acharia ético mentir para a polícia? Ético entregar um companheiro para ser torturado e morto pela ditadura? Onde está a ética, diante da morte? Tem gente que guarda o lixo embaixo do tapete, tem certas coisas que o guardam até não poder mais: Violentos Haikais 131/X
Aje pouco, quase nada
Culpa o colega
Dissociação velada

Faroeste 116/X
Tentei de tudo
Talvez timidamente
Teu totalmente

“Dilma declara orgulho por ter mentido a torturadores durante a ditadura.” Você acharia ético mentir para a polícia? Ético entregar um companheiro para ser torturado e morto pela ditadura? Onde está a ética, diante da morte?

Tem gente que guarda o lixo embaixo do tapete, tem certas coisas que o guardam até não poder mais:

“Depois da cheia, lixo no Guaíba e seus afluentes vem à tona.”

Concordo que muita gente que não consegue trabalhar, não encontra postos de emprego, já sequer tem dinheiro para procurar um local para tirar seu sustento. Não vou ficar discutindo se o problema é da pessoa ou do sistema. Também não vou discutir quem é o sistema,se os poderosos, ou os poderosos somos nós. A grande questão é que “A maioria dos impostos tira dinheiro de quem trabalha para dar a quem não trabalha.”

Incrível a natureza do ser humano e suas amarras. Continuamos a expressar nossos sentimentos, os substituindo por pratos de comida. Seja para um evento, para angariar votos ou para reclamar do pouco amor dispendido aos nossos entes queridos. A sociedade ainda não tem ego suficiente para assumir seus próprios erros.

Todo o cuidado é pouco quando se trata de bibelôs. Frágeis, costumam quebrar-se ao menor esforço antagonista. Percebem que a força alheia os prenderá a uma realidade distante da sua. Presos a amarras muito poderosas, por simbolizarem o poder, jamais podem imaginar mundos paralelos.

Fazendo um paralelo:

“O grande drama é que a maioria dos bibelôs se acha raro e caro.”

De ré na contramão, ainda que preso a algumas amarras, sem ser raro ou caro.