Tele transporte

É estranho fazer um texto pensando que, na verdade, ele está sendo escrito um pouco para ser lido hoje e um pouco para ser lido quando um sonho for transformado em realidade: fazer viagens pro este planeta e por outros usando o tele transporte, ou outro nome mais adequado para a desmaterialização e materialização em outro lugar, distante ou perto, como naquele filme Spaceballs.

 

Violentos Haikais 54/X

Nos Estados Unidos
Ou no Iraque há quem saque
Sem ser bandido

Faroeste 41/X

É linda de franja
Vai para lá e para cá

Energia laranja

Tele transporte

Antes de falar mais ou menos sério, tenho uma dúvida cruel: O antavirus é burro?

É estranho fazer um texto pensando que, na verdade, ele está sendo escrito um pouco para ser lido hoje e um pouco para ser lido quando um sonho for transformado em realidade: fazer viagens pro este planeta e por outros usando o tele transporte, ou outro nome mais adequado para a desmaterialização e materialização em outro lugar, distante ou perto, como naquele filme Spaceballs.

Desde que vi o filme “A Mosca” que tenho uma imensa vontade de ser tele transportado. Não para dizer que fui um dos primeiros seres humanos a usar este transporte e sim para aproveitar e conhecer um pouco mais deste universo tão lindo que nos cerca. Imagina só, viajar para a Austrália na velocidade da luz (ou bem acima dela)! Que legal! Ou para a Europa no inverno daqui e estar sempre bronzeado!

A gente não tem a mínima idéia de como funcionam as necessidades de nossos semelhantes, hoje, tem gente que tem necessidade de um pedaço de pão e gente que tem necessidade de arranjar um lugar na mesa para o décimo tipo diferente de pão (neste mesmo lugar alguém vai reclamar: =”puxa, faltou o pão árabe”…).

Não tem como a gente saber, não tem como avaliar. Apenas quero dizer que enquanto a máxima das corporações tiver que ser “A corporação está acima de tudo” e “precisamos continuar crescendo” ou “o que nossos acionistas vão pensar disto?”, existirão pessoas passando fome e pessoas que tem dinheiro suficiente para comer durantes muitos e muitos milênios… mas estes não precisam do dinheiro para comer… precisam do dinheiro para fazer viagens espaciais. Nada muito longe, apenas um pequeno vôo para observar nosso planetinha por completo.

Entender as necessidades dos seres humanos é uma tarefa para os marketeiros, para os governantes e para você.

Só não venha me dizer que responsabilidade social é uma conquista de alguém com alta capacidade evolutiva… não me venha com xurumelas.

 

De Ré na Contra-mão no marketing e nas necessidades!