Amor & Ódio Amor

– você garantiu que me amava!

– não me cobre tanto assim, você sabe das minhas falhas.

– e te amo, o que podemos fazer para remediar isto.

– já está remediado, afinal o que não tem remédio…

– mas não posso acreditar… você sabe que nunca te cobrei…

 

– você garantiu que me amava!

– não me cobre tanto assim, você sabe das minhas falhas.

– e te amo, o que podemos fazer para remediar isto.

– já está remediado, afinal o que não tem remédio…

– mas não posso acreditar… você sabe que nunca te cobrei…

– é verdade…

-… então, mas e as promessas que me fez?

– não menti.

– aquilo tudo que me prometeu? onde foi parar?

– aquilo era verdade pra mim também!

– o que houve? não entendo!

– não chore, vá piorar o que já é difícil!

– não, não vai me deixar aqui assim… não vou deixar.

– acalme-se.

– existe outro alguém? não importa, não vou ficar assim.

– não há ninguém. acalme-se, pare de gritar, o que é isso?

(surge uma tesoura da gaveta do criado-mudo)

– não vai ficar assim, já disse. me perdoe te amo.

– acalme-se e pare com isso, par…

(enterra-lhe a tesoura na barriga).