LIÇÕES DE SATURNO

Há muito mais para se ver em Saturno além de seus estonteantes anéis. Tudo bem que flanar por eles, admirando seu colorido e sua plasticidade cósmica, é passeio obrigatório de qualquer ser humano em sua primeira viagem ao vizinho planeta. Os preços dos pacotes para lá, aliás, nunca estiveram tão convidativos. Mas a verdade é que os saturnianos têm muito a ensinar a nós, terráqueos, especialmente no que diz respeito à sustentabilidade coletiva.

A mesma lógica que tivemos ao conceber os edifícios de apartamentos, onde várias moradias se acomodam umas sobre as outras ocupando um só terreno, os saturnianos adaptaram às mais diversas aplicações cotidianas. E muito provavelmente a disposição dos seus anéis concêntricos e alinhados, dádiva natural do planeta, inspiraram as inovações ali implementadas.

É sabido que, embora muito maior que a Terra, Saturno padeceu durante milênios por problemas de espaço devido à alta densidade populacional. Mas a engenhosidade extra-terrestre criou prodígios estruturais capazes de intrigar nossos mais audazes inventores.

Para conhecer alguns deles, comece alugando um carro. Você verá que, mesmo na hora do rush, engarrafamentos inexistem. Para cada via expressa ou rodovia construída em terra firme (ou Saturno firme), eles empilham oito outras sobre ela. O resultado é um trânsito tranquilo, seguro e fluente, a ponto de algumas das pistas nem serem ocupadas totalmente pelos carros, o que faz a delícia dos satúrnicos teens e seus skates.

O sistema viário é um dentre muitos exemplos. Também a agricultura e a pecuária tiveram suas áreas multiplicadas por dez, vinte e até trinta, seguindo o mesmo princípio de empilhamento. Placas de solo especialmente formuladas para as lavouras e criações bovinas são produzidas da mesma forma que as nossas placas de grama, que cultivadas em viveiros são posteriormente transplantadas para seus lugares definitivos. A diferença é que tais placas de solo possuem pelo menos 4 metros de espessura, para suportarem o enraizamento das plantas e também o trânsito de agricultores e tratores sobre elas, quando suspensas. Assim, sobre um mesmo espaço, temos uma área aproveitável dezenas de vezes maior – permitindo inclusive que culturas diferentes sejam lavradas simultaneamente, e tal diversidade é um ótimo negócio para o homem do campo de Saturno. Entretanto, um problema ainda desafia os agrônomos siderais: algumas colheitadeiras, excessivamente pesadas, acabam por envergar e romper a placa de solo por onde passa, provocando um efeito-dominó sobre as placas abaixo dela. Árvores robustas e altas, como as sequóias, são utilizadas como colunas de sustentação entre um pavimento e outro. Ou seja, a concepção é totalmente ecológica e prioriza o aproveitamento da água: a rega do andar de cima, ao escorrer, faz as vezes da chuva para o andar de baixo e assim sucessivamente, até chegar ao solo propriamente dito.

Com estas e outras tecnologias, o bem-estar social é tamanho que Saturno vive hoje um Baby-Boom de ETzinhos. Templos religiosos, maternidades e cartórios de registro se empilham pelos quatro cantos do planeta para dar conta da demanda.

© Direitos Reservados

Marcelo Pirajá Sguassábia é redator publicitário e colunista em diversas publicações impressas e eletrônicas.

Blogs:www.consoantesreticentes.blogspot.com (contos e crônicas)

Email: msguassabia@yahoo.com.br