A Maratona

Ano de 2037, Juliano se preparava para sair de casa quando seu telefone tocava:
— Alô, oi Fernando… sim Fernando, estou saindo já, ta tudo pronto mesmo? bom… em meia hora estarei aí, to muito curioso,até logo.
Chegando lá Juliano se deparava com…

Ano de 2037, Juliano se preparava para sair de casa quando seu telefone tocava:

—Alô, oi Fernando… sim Fernando, estou saindo já, ta tudo pronto mesmo? bom… em meia hora estarei aí, to muito curioso,até logo.

Chegando lá Juliano se deparava com um cenário totalmente armado, mas olhava, olhava e não entendia direito. Seu amigo, já do seu lado, via sua cara e então começava a explicar:

—Trata-se de uma maratona, mas uma maratona diferente… de tempos em tempos no meio do percurso aparecerão placas virtuais com alguma mensagem. Isso tudo é fruto das mais novas tecnologias que detectam pensamentos e emoções humanas. Elas também não tem lugares certos para aparecer, tudo depende de sua mente. Mas isso não muda o fato de tudo ser realmente uma maratona, pois você deverá percorrer mais de 40km para chegar no fim. Tudo explicado, você topa o desafio?

—Claro Fernando, vamo nessa!!!

—Olha que você vai se surpreender bastante…

—Ok, gosto disso, prepare tudo pra começarmos logo!!

Depois de um tempo, o tiro de largada era dado e Juliano começava seu percurso, por enquanto tudo muito normal, ia correndo relaxado enquanto começava a pensar na sua vida. Até que se surpreendia com a primeira placa, então perguntava-se:

—Ueh, como pode? Como sabem que o amor dela seria meu objetivo? que estranho…

Então apertava mais o ritmo, tentando ver no que aquilo tudo ia dar, até que via uma segunda placa que dizia:

“Tente, acredito que você irá conseguir seu objetivo”

Ia então mais rápido, cada vez mais curioso e intrigado. Estava um pouco tenso agora, angustiava-se, pois a terceira placa demorava a aparecer, mas dizia:

“Você tem chances sim, continue lutando que você chega ao fim…”

Era tudo de tal forma que ele podia ler uma frase enquanto quem estava na torcida lia outra bem diferente. Juliano começava a notar que parecia que todos os outros liam algo que incentivasse a pará-lo e a sair da corrida. Ouvia vários gritos avisando-o para parar, que aquilo tudo era apenas um sonho impossível, mas não eram o que aquelas placas, as quais só ele enxergava daquele jeito lhe diziam. Até que uma lhe surpreendia dizendo:

“Caia na real, as placas anteriores foram tudo fruto de sua ilusão”

Nesse momento ele pensou fortemente em desistir, chegou a tomar a decisão, mas suas pernas pareciam não responder a seus comandos e então ele se via continuando a correr. E alguns quilômetros a frente pode ler:

“Acredito que a situação mudou, agora parece que você tem suas chances”

Intrigado ele notava que sua cabeça estava confusa, não queria se frustrar novamente, mas não encontrava outra alternativa diferente de continuar correndo. A próxima lhe encorajava ainda mais, e elas iam continuando nesse mesmo sentido, daquele jeito: todos enxergando de uma forma e ele de outra até que uma placa fatal apareceu:

“Agora ficou tudo claro, você não tem como conseguir o que quer, até mesmo porque parece que as coisas não são bem como se imaginava. Talvez aquilo que deseja não exista onde se pensava existir. A solução é parar e descansar, tentar ter paz, quem sabe em outra maratona não se possa ter mais chances de sucesso? “

Então, lendo isso… Juliano respirou fundo e decidiu dizendo a si mesmo:

—É, não vale a pena mesmo essa maratona toda, não agüento mais tanta frustração, tanto esforço para de repente notar que nada é nem parecido como pensava.

E um cansaço enorme tomava conta das pernas de Juliano, que aos poucos ia parando, mas pensando que certamente outras maratonas mais felizes viriam pela frente.