Simplicíssimo

As amarras do pensamento complexo

Violentos Haikais 70/X

 

Passaram setenta

 

Rodaram trinta, pense, sinta!

 

Na educação não se tenta!

 


Faroeste 57/X

 

Sempre tentar entender

 

Como é o outro, sem estouro

 

Para sempre me ter

 

 

As amarras do pensamento complexo

 

Uma das coisas mais complexas para o entendimento do pensamento complexo é entender quando ele fica pontual e quando que ele fica mais abrangente.

Muitas pessoas não conseguem assimilar o ver inteiro para mexer na parte e mexer na parte para melhorar o inteiro.

Muitas vezes uma dor de cabeça vem da coluna ou do fígado. Porém as pessoas insistem em curar a dor, mexendo na cabeça. Pensando em um corpo humano, até que já melhorou muito. Porém, em se tratando de outros sistemas aparentemente estanques um do outro, ai vira uma meleca.

Vamos aos fatos: quais as principais causas da violência (senso comum…)?

– Ter nascido bandido (fatalismo);

– Falta de emprego (capitalismo);

– Falta de estudo (trabalhismo);

– Falta de vergonha na hora de educar (moralismo);

– Impunidade (política).

 

Como saber ao certo as causas que levam uma pessoa ao mundo do crime? Uma delas, todas ou nenhuma?

Como abordar? Através da psicologia, sociologia, antropologia?

 

Fácil gente. Aborda através da transdisciplinaridade.

 

Usar sistemas quando necessário, mas também saber abdicar deles em certos momentos. Mesmo que não se saia do sistema para a disciplina e sim para outra abordagem.

 

Algumas correntes de pensamento hoje em dia têm que negar que tudo faz parte de um sistema, pois, desta forma, tudo seria uma recomposição do que já existe e uma inovação ou melhoramento.

 

Pensem, fora ou dentro do sistema, a única forma de ir para a frente é se unir…

 

Ah! Isto seria um mundo perfeito… hahaha

 

De ré na contramão, na mais pura essência desta frase!

Pedro Armando Furtado Volkmann

Comente!

Deixe uma resposta

Siga-nos!

Não tenha vergonha, entre em contato! Nós amamos conhecer pessoas interessantes e fazer novos amigos!