Profana

No sacro de teus pensares navegar,
No profano de teu corpo mergulhar.
Profanos são teus toques e teus beijos.
Na pureza, sagrados são teus desejos,
Profano teu olhar que o meu invade.

No sacro de teus pensares navegar,
No profano de teu corpo mergulhar.
Profanos são teus toques e teus beijos.
Na pureza, sagrados são teus desejos,
Profano teu olhar que o meu invade.
Tua língua em minha boca
E os pensamentos que me deixas.
O demônio a acender-me o desejo,
O anjo a mostrar-me o caminho.
Assim tão sagrada tua existência,
Marca-me a alma tua lembrança.

Eternamente.