Pele: Passaporte para a igualdade cerebral

Fato consumado: tem branco melando o esquema de cotas raciais. Tem aluno metendo a boca no judiciário porque teve um melhor desempenho em suas provas e não acha justo ser desfavorecido em função da sua (falta de) cor.
Fato consumado: tem branco melando o esquema de cotas raciais. Tem aluno metendo a boca no judiciário porque teve um melhor desempenho em suas provas e não acha justo ser desfavorecido em função da sua (falta de) cor. Tem aluno pardo querendo passar por negro. Ninguém mais quer ser branco, todos querem ser negros ou índios (ou melhor, "afro-descendentes" e "povos da floresta"). Reconheçamos, por favor, que só os negros têm garantido um lugar ao sol, como bem sabem todos os dermatologistas. Vejam a classificação da pele em fototipos, proposta por um tal de Fitzpatrick:

Fototipos*
Descrição
Sensibilidade ao Sol
I – Branca
Queima com facilidade, nunca bronzeia
Muito sensível
II – Branca
Queima com facilidade, bronzeia muito pouco
Sensível
III – Morena Clara
Queima moderadamente, bronzeia moderadamente
Normal
IV – Morena Moderada
Queima pouco, bronzeia com facilidade
Normal
V – Morena Escura
Queima raramente, bronzeia bastante
Pouco sensível
VI – Negra
Nunca queima, totamente pigmentada
Insensível

Do ponto de vista do SOL, fica bem claro quem é negro e quem não é. O sol não fica discutindo questões étnicas complexas. Se é pra queimar, ele queima e estamos conversados.

Buenas, o pessoal das faculdades anda com uma certa dificuldade em definir quem é negro e quem não é. Teve até o caso daqueles gêmeos vestibulandos (eu disse gêmeos, não gênios), um dos quais foi aceito como negro, o outro não. Minha proposta é de que adotem os solares critérios da classificação de Fitzpatrick para decidir quem é quem. Queimou, não é negro e PT saudações. Isso exclui mais ou menos 60% da população, muitos desses sabidamente pobres e desfavorecidos, mas e daí? Como todos sabem, o sol nasce para todos. Não custa nada, portanto, dar uma espiadinha (como diria o Bial) na pele do candidato a afro-descendente – sem protetor solar.

Também proponho algum tipo de pontuação segundo o tipo de pele, a qual entraria no cálculo das harmônicas médias dos vestibulandos; senão vejamos, quanto maior o grau de torrefação, mais pontos ganha o camarada. Isso permite distribuir suavemente os favorecimentos fototipo-dependentes, de forma que sobre alguma fatia do bolo para os morenos. Sim, afinal de contas, o "socialismo moreno", do saudoso polítco Getúlio Brizola, é um ideal que perecer não pode. É antes o ápice da cadeia evolutiva que se inicia com o alemão Marx e finda-se, gloriosamente, com o moreno brasileiro, ente genérico-macunaímico da raiz às pontas dos baseados.

A pele e o sistema nervoso compartilham uma mesma origem embriológica. É hora de dar à pele a justa cota cerebral que lhe é devida.

Aos que sempre queimam, e nunca bronzeiam, esses que se mudem para a Austrália.