O Swing das Paixões

Fracasso. Palavra feia, chata. Mas que serve par algumas coisas. É através deles que vemos que algo não está indo para o caminho certo. Através de um fracasso enxergamos onde erramos. Com eles, ao contrário do que alguns pensam, temos muito a ganhar se conseguirmos tirar proveito deles. Nenhuma derrota é definitiva e nenhum tombo é Fracasso. Palavra feia, chata. Mas que serve par algumas coisas. É através deles que vemos que algo não está indo para o caminho certo. Através de um fracasso enxergamos onde erramos. Com eles, ao contrário do que alguns pensam, temos muito a ganhar se conseguirmos tirar proveito deles. Nenhuma derrota é definitiva e nenhum tombo é feito para não levantar. Quando se leva uma grade rasteira, seja de alguém seja da vida seja do raio que o parta, por mais difícil que seja discernir as coisas no momento, é sempre preciso ter em mente que em tudo há algo a prender. Pode ser que não seja hoje que eu me de conta, nem amanhã. Talvez demore um tempo. Mas sempre há. Cada dia há uma oportunidade para escolhermos: ou damos um passo à frente ou ficamos estagnados lamentando o fracasso. Não há tempo para lamentações. Essa é a sua vida. Essa é a minha vida. Até prova ao contrário não há outra. Aproveite. Enquanto há tempo.

***

Todo mundo tem suas paixões, todo mundo tem suas manias. Capacidade incrível temos de amar algo e logo depois exorcizá-lo da nossa vida. Mas tem aquelas coisas que são paixões eternas e a gente nem sabe explicar por quê. Não pessoas. Algo tipo… Paixão por sapatos, bolsas. Tudo bem isto poderia ser encarado na verdade como a síndrome consumista básica. Mas não é. É paixão. Paixão de você para na frente de um par de sapatos e prometer fervorosamente que se ele for teu você vai amá-lo pelo resto da sua vida. Claro, que como quase toda promessa que eu faço nesse nível, ela se esvai depois de um ou dois meses. Mas é paixão. Paixão por futebol. Essa não tão compreendida pelo universo feminino. Mas aí é um problema de criação. Fomos criadas para não gostar de futebol, par anão querer entender as regras, para apenas acharmos que aquilo ali é “apenas um monte de homens correndo atrás de uma bola”. Mas se pensar por aí também tem seus atrativos. Quando se dá conta de como funciona tudo que envolve futebol, vira paixão. Paixão por ler todos os jornais do mundo. Paixão por escrever. Paixão por chuva. Dia de chuva. Paixão por sorrisos, por amigos, por lembranças… Paixões que acabam, outras que recomeçam. A vida se move por elas. E é por elas que eu continuo.