Dedéu

não querer da vida
amor mais puro mais devasso
eras a liberdade eras o laço
o labirinto e a saída

e eras tão compadecida
tão fraternal em cada abraço
não querer da vida
amor mais puro mais devasso
eras a liberdade e eras o laço
o labirinto e a saída

e eras tão compadecida
tão fraternal em cada abraço
mas dura feito o aço
quanto mais cruel mais comovida

foste a cura e a ferida
a escuridão e o lume
a rosa e o estrume

não querer da vida sina
mulher mais odiosa e nem mais bela
foste uma santa e uma cadela