Simplicíssimo

Edição 325 (24/05/2009) – De puta dó, sen a dor

Mais uma vez escancara-se a enorme preocupação dos políticos brasileiros com a situação do povo. O limitador é a falta de verba pública. O motivo: ela tem como prioridade os seus bolsos. Pois a “farra das passagens” causa mais do que indignação. Até quando vamos aceitar? O que cabe ou resta a nós fazer? A mera expectância é suficiente?

Nem a comissão de ética escapa, como era de se esperar. O pior de tudo é isso, nos acomodamos porque já sabemos o que nos espera. Até o tal de “Pacote moralizador” pode vir ainda mais disposto à barbárie: instaurando um aumento salarial compensatório de 50%. (Fonte: ClicRbs)

O que precisamos para exercer a força de povo? Eu não tenho tempo, tu não quer se envolver, ele diz que o problema é dos outros, nós estamos mais preocupados com a crise financeira, vós temem represálias e eles acreditam que a mídia faz por nós. E tudo segue na mais absoluta conformidade sem mudar uma palha para melhor.

Vamos ficar aguardando a próxima eleição? Não aprendemos que nem o “homem do povo” no poder foi a solução para um sistema perverso? Que a única mudança foi termos agora os tais “340 picaretas com anéis de doutor”, recebendo a mesma bênção, apenas com um dedo a menos?

Me digam simplileitores, para onde vamos, o que fazemos para mudar tal situação?


E enquanto degustamos essa simpliedição repleta de poemas e minicontos, você pode saber mais sobre o escândalo no especial A Farra das Passagens do site Congresso em foco.

Ibbas Filho

Últimos posts

Siga-nos!

Não tenha vergonha, entre em contato! Nós amamos conhecer pessoas interessantes e fazer novos amigos!