Simplicíssimo

A Lira da Hipotermia

A atmosfera fria

Prepondera

No corrente dia,

 

No entanto,

Os pensamentos

Não aderem

Ao império do mármore:

 

A bem da verdade,

São vulcânicos desertos

Do Saara e do Mojave!

 

A atmosfera fria

Prepondera

No corrente dia:

 

Penso nos entes

De antártico

Coração transformando

Mares majestosos

De candura e crisálida

Em infinitas úlceras multiplicadas

Cuja missão é criar bactérias

Quais sepulcralizam a alma.

 

A atmosfera fria

Prepondera

No corrente dia:

 

Não obstante

A brisa malina,

Os condôminos de rua

Deitam —

Prematuramente —

Na sepultura

Ao se tornarem

Almoço ou janta

Da nossa venerável

Sociedade fraternal,

Nobre, magnânima, humana!

 

 

 

A atmosfera fria

Prepondera

No corrente dia:

 

A tristeza gélida

Empedra a lareira

Dos solares sentimentos,

Matando os sonhos

E seus rebentos.

 

A atmosfera fria

Prepondera

No corrente dia:

 

Nada perto ou equidistante…

Nada ao longe…

Nada aquém…

Nada além

De hipotérmicos,

Decrépitos

E esqueléticos

Horizontes!

JESSÉ BARBOSA DE OLIVEIRA

 

 

 

Jessé Barbosa de Oliveira

Últimos posts

Follow us

Don't be shy, get in touch. We love meeting interesting people and making new friends.

Most popular

Most discussed