Simplicíssimo

Um Conto Ordinário

Nota do autor: este foi o melhor conto que eu escrevi em toda a minha vida.
Não estou para brincadeiras.

Acordou cedo. Vestiu-se rapidamente como fazia todos os dias. Tomou café:
um pão com manteiga e um Nescau gelado. Escovou os dentes e caminhou até a
garagem, não sem antes dar uma pequena lida no jornal – o resto ele lia na
firma. Ligou o carro, abriu o portão e saiu em meio a uma fumaceira rumo à
Protásio Alves (trabalhava no Centro). Aquele dia acelerava mais que o
habitual. Não estava atrasado. Na altura da Felipe Camarão com a Osvaldo,
acordou. Abriu os olhos. Tarde demais. Morreu.

Nota do Editor: Pedro Schestatsky começa, a partir da próxima edição, com uma
coluna fixa semanal que se chamará "Diálogos da Noite de PoA", além de seguir
participando com seus microcontos paralelamente.

Pedro Schestatsky

Comente!

Deixe uma resposta

Siga-nos!

Não tenha vergonha, entre em contato! Nós amamos conhecer pessoas interessantes e fazer novos amigos!