SarauÊ


O SarauÊ!

“Pra vocÊ que gosta de escrevÊ
Pra vocÊ gosta de fazÊ acontecÊ
Pra vocÊ que gosta de vivÊ
Pode chegá…”

Bem vindo à Coluna do SarauÊ!




O SarauÊ!

“Pra vocÊ que gosta de escrevÊ
Pra vocÊ gosta de fazÊ acontecÊ
Pra vocÊ que gosta de vivÊ
Pode chegá…”

Bem vindo à Coluna do SarauÊ!


Ficha técnica:

De onde Somos:
São Paulo – Faculdade de Filosofia Letras e Ciências Humanas
(vulga Fê-Fê-Lé-Chi) – Universidade de São Paulo.

Criadores:
Alunos do curso das Letras

Participantes ativos:
Poetas, Músicos, Artistas, Alunos do Curso de Letras, Filosofia,
História, Geografia e quem quiser chegar, pra fazer arte ou silenciar pela arte.

Temas:
“Contra o inimigo imaginário”
“Deuses e Deusas da poesia”
“Contra o amigo imaginário”

O SarauÊ!, Sarau dos alunos das Letras da Universidade de São Paulo foi batizado em abril desse ano de 2005 por um grupo de loucos poetas que cansados da monotonia da faculdade e imobilismo da Gestão Ágora, responsável pela organização das atividades do CAELL (Centro Acadêmico de Estudos Linguísticos e Literários), resolveu encontrar-se de forma organizada para fazer atividades culturais em torno de um Sarau.
O sarau é tradicional nas Letras, realizado nos anos anteriores nos porões da Faculdade das Letras, à luz de velas, uma belezura …Mas um pouco restrito a grande número de pessoas pelo horário e local que dificultavam a vinda destas.
A idéia do SarauÊ! surgiu como um cometa para em estrela transformar-se e permanecer.

“O SarauÊ deveria ser realizado no saguão principal da Faculdade de Letras, nas escadas entre as aulas”
(alguma alma iluminada)

Essa idéia foi alvo de muitas críticas que faziam referência a descaracterização do já tradicional sarau das letras nos porões.
De forma tumultuada o primeiro SarauÊ foi realizado, logo o segundo, o terceiro em meio a paralisações e chuvas, e o quarto em meio a provas, aulas, reprovações, aprovações para finalizar o semestre.

“Os móveis da Marabraz são feitos para caber Televisão e não Livros…Vocês já perceberam? Isso é um Absurdo.”
(Dizia um dos cativos participantes do Sarau)

E assim o primeiro semestre de 2005 desenrrolou-se, recheado por quatro SarauÊ! que promete ainda mais pelo segundo semestre desse mesmo ano e não pára por aí.
Em processo de organização e estruturação o evento vai se alimentando de novos poetas, músicos e interessados a cada encontro… Quando as raízes se fortificarem e a idéia for diceminada, dizem alguns que o SarauÊ! ´borboleteará´ ou então ´Viajeiará´ como na metamorfose da borboleta, vai criar asas…

“Na Bruma Leve Das Paixões que vem de dentro
Tu vens chegando pra brincar no meu quintal…”

(Alceu Valença)

…Aí…Segura o SarauÊ…os ambiciosos poetas almejam fazer algo intinerante e cutucar com a palavra aqueles que não valorizam a arte e a interação entre seres humanos nas diversas formas de comunicação. Mas isso é pauta pra outros capítulos…

“Quem não comunica se estrumbica…” (Chacrinha)

A idéia é boa e deve ser levada a sério.

“Quem quisé chegá…Pode chegá…
Vem pro SarauÊ!
Vem fazer AuÊ.”

Veja na sequência uma foto do último SarauÊ!
Realizado dia 28.06.05 – Nas escadas, sagüão principal da Faculdade de Letras – USP.
Em breve teremos o histórico de acontecimentos marcantes dos quatro últimos eventos.

Image

E abaixo, um texto de um dos nosos integrantes, Ivan de Azevedo


Ca-tra-ca do Me-trô Consolação

Catraca do Metrô
Consolação,

Nos encontramos na catraca do Metrô
Metrô en-ca-tra-ca-do

Consolação,

Te espero na catraca, captou?

Na estação Consolação

Antes da Catraca
O sentimento tá en-ca-tra-ca-do

O pensamento encatracou
Tudo contado na catraca

Catraca cansada
Bendita trava
Se não fosse estaca
Marca,

Marco,
Mancada!
Não marcavam encontro na catraca
Das Catorze as quatro
Cabeças e cara-pálidas passam
De cara limpa de cara bela


Enquanto um
Novo amante de catraca

Espera pela outra.
Torna-se triste amante de Catraca

A outra: descatracada

Não chegou.

Catraca do Metrô Consolação. Ivan de Azevedo