Simplicíssimo

E…(fina(l)mente)…Terno Retorno

Um dia um amigo de um amigo me disse que eu tinha que conhecer um amigo dele. Desde então, não sei se um é meu amigo que é amigo de um amigo meu ou se o outro é meu amigo que amigo de um amigo meu. Acredito que para que cada um dos dois, seja a mesma coisa.

Como toda a amizade duradoura, tivemos tempos muito próximos e tempos não tão próximos assim… mas assim é a vida, amigos sempre retornam.

Ideia de um dos três mosqueteiros (o Rafael), foi logo encampada pelo amigo do amigo (o Eduardo) e pelo amigo do outro amigo (o Pedro (Eu)).

Desde sua parada, a cerca de 8 anos, muitas vezes pensamos e/ou tentamos retornar. Reuniões por aplicativos de mensagens, reuniões de dois dos três, fizemos uma reunião até de cabeça para baixo (se o amigo do meu amigo tiver esta foto, por favor, não hesite em publicar).

Como todos nós, o trio também é muito atarefado, quando um podia, os amigos estavam assoberbados, como deixar de fora o amigo do amigo?

Depois de muito tempo, no começo da pandemia, nos encontramos os três virtualmente (eu, o amigo do meu amigo e o outro amigo, amigo do meu amigo) … e passamos uma tarde toda jogando (não! Não foi conversa fora… foi…) imagem e ação.

Seria um prenúncio de nosso retorno? Agiríamos os outros juntos na pseudo arte da escrita?

Talvez sim, talvez não, porém o certo é que, (de uma forma inusitada),  aqui estamos, de volta. Que seja (e)terno retorno!

A imagem remete a um lugar especial: um Canyon que não é tão famoso, tanto que, para chegar nesta maravilha, não se paga entrada (e é nos Estados Unidos…). um lugar talhado por milhares de anos pelo Rio Colorado, que formou esta dobra. Uma ferradura, símbolo de sorte, símbolo da tradição gaúcha. Nem preciso dizer que para lá quero retornar, pois a gente enxerga e não vê, vê e não enxerga.

Espero que aproveitem a nossa volta.

De minha parte algumas explicações:

A minha coluna original chama-se I-racional, e continuará com o formato tradicional: dois haicais e um texto, acrescido de uma série que ainda não tem nome, que versará sobre os mais incríveis e inimagináveis fenômenos físicos que fazem o nosso dia-a-dia.

Meu personagem Neuro volta, porém, como perdi todos os desenhos, pode ser que algumas ideias saiam repetidas, mas podem ter certeza de que é outro Pedro (o Pedro do retorno) que está escrevendo.

Além disto, começarei alguns quadrinhos totalmente diferentes que já tem títulos definidos:

O primeiro vai se chamar Erre o Pote e trata-se de um urso mago; o segundo, Josicley, Um empreendedor de outro mundo (este ainda sem data para começar) e, trata obviamente de uma série sobre negócios de outro mundo.

Será que foi assim que Nietzsche previu que seria o (E)terno Retorno? Ou será que foi Deleuze quem mais se aproximou disto? Será que assim falou Zaratustra? O profeta profano de Nietsche, o primeiro sopro da unidade.

A foto foi retirada de um site de fotos gratuitas, com os seguintes créditos: Photo by ben o’bro on Unsplash.

Pedro Armando Furtado Volkmann

Comente!

Deixe uma resposta

Siga-nos!

Não tenha vergonha, entre em contato! Nós amamos conhecer pessoas interessantes e fazer novos amigos!

Últimos Posts