Simplicíssimo

Os Mais Quentes da Semana

Meditando

Hoje à noite, um pouco antes do meu primeiro contato com a Sahaja Yoga, assisti uma cena comum que, entretanto, me fez pensar. Um bando de formigas caminhavam, incansavelmente, para lá e para cá...

artefatos

Reparto metades da vida, artefatos feitos à mão como solidão. Parto!! Reparto cacos de ilusão, pautados em sóbrios pensamentos Como alimentos!! Reparto pensamentos insanos emendados a...

Não se engane.

  Porque você está aí onde está agora? Não está na China ou em Lima? O que amarra, o que impede? O que te guia? Quem manda? Qual é a força motriz? A mais forte, convincente? Que exerce mais pressão? Vem de fora ou é de...

Últimos Artigos

Notre Pont

Até há poucos anos, a Pont des Arts, em Paris, era chamada de “A ponte dos cadeados”. Casais apaixonados do mundo inteiro juravam amor eterno prendendo um cadeado com seus nomes nos alambrados laterais, arremessando em...

Piscina Cheia

– Piscina é um negócio nojento mesmo. Se a gente parar pra pensar não entra numa de jeito nenhum.– Ainda mais piscina de clube. Mas quem ligava pra isso? O que tinha que acontecer rolava aqui, em volta e dentro dela.–...

Banco Alavanca S/A

Este começo de junho trouxe, junto com o frio oscilante, um calor humano que há muito não se experimentava pelos rincões de Jacutinga: a presença de Mestre Duña, o inoxidável profeta do nosso tempo. Com sua túnica...

Trem Doido

– Ô leseira, não passa um raio de carro nessa estrada hoje. Até agora não vi nenhum. Cê viu, Cacau? – Nadinha, nem carroça. Não dá nem pra brincar de adivinhar qual a cor dos carro que vem vindo. – É...

Caneca de Vladimir

Pouca gente sabe, mas o fato é que uma reles caneca de cerâmica é dos xodós mais estimados do Vladi, um dos homens mais poderosos do planeta. Onde quer que esteja, onde seja o evento ou reunião oficial, lá está o copo...

Sobras do sobradão

Mal range a porta de entrada e cai uma aranha do lustre, ali teimando, dependurada no vácuo dos anos. Dois gritos de desespero da sinhá primeira, a matriarca de gerações tantas, e eram quase uivos os lamentos da coitada...

Os botões dos meninos

O menino 1 Na minha mesinha de reuniões, há um botão vermelho em uma ponta e um botão vermelho na outra. No caso de botar tudo a perder, eu mesmo tenho que apertar os dois, em uma sequência de toque e após três voltas...

Minicontos, Editorial e Orientações ao Autor

Siga-nos!

Não tenha vergonha, entre em contato! Nós amamos conhecer pessoas interessantes e fazer novos amigos!

Últimos Posts