Simplicíssimo

Heras

Acontece que passa a ser fato, nunca mais posto em dúvida, das dinastias sem conta alojadas no cimento, na areia e nos tijolos das paredes. Onde se abrigam, além de gente perpétua, os cachorros que inexistem, seus xamegos e latidos de eras outras, em heras velhas deste sítio.

Ali jazem traços de almíscar em sutiãs carcomidos e sinais da ordenha de uma certa insubstância, entornada sobre estrume de nelore por hectares de antanho.

Sim, dando liga à cal, acredite-me você, há uma argamassa mais densa do que aquela que o engenheiro projetou. Reboco rijo que nada arrisca corromper.

À hora cheia, o sino: blém. Lá pelas tantas, o sono vem.

Esta é uma obra de ficção.

© Direitos Reservados

Marcelo Sguassabia

Comente!

Deixe uma resposta

Siga-nos!

Não tenha vergonha, entre em contato! Nós amamos conhecer pessoas interessantes e fazer novos amigos!