Simplicíssimo

Eu não gosto de Allstar

Já tentei gostar de Allstar
Cachimbo, cigarro
Até bolero já tentei dançar
Nem cerveja, nem conhaque
Nada disso foi capaz
De seduzir meu paladar

Admiro quem tem um vício, uma paixão
E anda assim sempre buscando
o objeto de seu prazer

Admiro quem tem sina, uma vontade
E vive sempre no seu mundo
Tão cheio de certezas

Admiro quem tem um único estilo
E vive só para aquilo
Sem olhar para os lados

Admiro quem tem uma causa, uma ideologia
Sempre sabe a hora certa
E para qual lado atirar

Já eu, sempre no meio termo
Nem tão isso, nem tão aquilo
Vivo tão sem desejos
Sem certeza, sem convicção
Sempre há um porém
Sempre um também

Quem tem um vício já [se] achou
E vive para manter seu desejo
Eu não me jogo, não me atiro
É em cima do muro que eu [sobre] vivo
Calculando sempre prós e os contras.
E não consigo gostar de Allstar

Rodrigo D.

Últimos posts

Siga-nos!

Não tenha vergonha, entre em contato! Nós amamos conhecer pessoas interessantes e fazer novos amigos!