Simplicíssimo

Samba nº 1

(Revisado)
E eu quis tanto te guardar
Numa caixinha de fósforo
Pra poder te carregar

A qualquer canto que eu quisesse
Fazer um brinde, você merece
E depois te abandonar.

Ficar brincando com o isqueiro
Por várias horas no banheiro
Até você se acostumar

Quis te dar todas as flores
Dos jardins que encontrei
No caminho da tua casa
E com carinho as arranquei.

Cantar minhas dores exaltado
Em um tom exagerado
Pra você não se orgulhar

De ter-me feito de palhaço
Ter negado o meu abraço
E depois querer voltar.

Mas a caixinha se joga ao chão
E passa agora de mão em mão
Acendendo os cigarros

Atrapalhando-se com os pigarros
Convencendo a multidão
Que já tem um novo amor

Que achou sua fogueira
Seu carvão, seu lenhador
E o que procurava a vida inteira
Estava dentro do seu coração.

Rodrigo D.

Comente!

Deixe uma resposta

Siga-nos!

Não tenha vergonha, entre em contato! Nós amamos conhecer pessoas interessantes e fazer novos amigos!