Simplicíssimo

Eterno Estrangeiro

Aeroporto. Daí casa! (ou seria o contrário?)
Às vezes não sei o que é melhor! Permanecer aqui, incomunicável; sentindo-me preso. Estrangeiro de direito…
Ou preso em meu próprio país. Sem oportunidades.
(Um estrangeiro de fato. E sem direitos.)
Assim que…
Minha vida tem sido isto: uma constante busca da liberdade… (sempre a liberdade!…)
O começo:
Em casa (e digo: CASA) não me considerava feliz… (um moço…)
Daí a chance: Japão – o Oriente, terra de mistérios e encantamentos!… Um mundo novo… Tão longe de minha realidade (tão longe…)
Momento da partida, dou-me conta: Meu Deus! Nada conheço! Nem a língua!… E embarco em um avião de lágrimas… (o destino seria o sorriso? Não sabia…)
Chego ao Japão:
A perda do primeiro amor…
O encontro de um novo amor!…
Um, dois… Sete anos. A luta contra o preconceito. A incomunicabilidade que ainda me persegue…
Perdi o rumo? A felicidade? Regresso? Posso? Por quê? Para quê?
Muitas perguntas. Nenhuma resposta. Estou tão atado a minhas contradições…
Afinal de contas, clamo por uma liberdade que parece não existir…
Quero ganhar, sem perder.
Quero viver, sem renunciar.
Quero viver…

Edweine Loureiro

Últimos posts

Follow us

Don't be shy, get in touch. We love meeting interesting people and making new friends.

Most popular

Most discussed