Simplicíssimo

A BÍBLIA DEMON’S [TRADA] -VERSÃO DO DIRETOR

                         

A PRIMEIRA “BLITZ” DA HISTÓRIA


Quando estavam a caminho de casa os irmãos do Zé foram interceptados pelo mordomo que disse que haviam roubado a taça.


 1.Nós? Não roubamos nada não!

Então ao abrirem a sacas acharam a tal taça com o Beija.

Como alguns estranhos que também retornavam de compras no Egito, parassem para observar o que se passava, o mordomo ia batendo palmas e dizendo:

 Aí, não tem nada pra ver aqui não! Circulando, circulando!

Os irmãos se entreolharam quando viram que a taça estava com o Beija e revoltados gritaram juntos:

1.Tinha que ser o Beija! Estão vendo? Igualzinho aquele fresco do Zé. Agora nos estamos fudidos e mal pagos!

E enquanto falavam iam dando cascudos no ‘pé do ouvido’ do Beija.

De volta à mansão do Zé. Zé e todos os seus irmãos se reuniram em uma grande sala decorada com estátuas de deuses egípcios.

Quando o Zé estava de novo com eles e viu que estavam desesperados, cortando o prego, resolveu revelar sua identidade.

1.Eu sou o Zé!

2.Quem?!

3.Ora o Zé, vocês não se lembram?

4.Que Zé, meu?

5.O irmão de vocês. Aquele que vocês jogaram no poço e depois venderam como escravo! Lembram agora?

6.Não, ta brincando, né?

7.To não. Sou eu mesmo!

8. Caraca! Hei manos, este aí é o Zé, gente! Cara não brinca veio! Puxa meu, você é o Zé mesmo!

9.Já falei que sou eu, mas que droga!

10.Pô cara, olha, na moral. Leva a mal aquele lance de te jogar no poço e te vender como escravo não, e termos pensado em te matar, foi mal aí meu, e…

11.Cala essa boca! Disse um dos outros irmãos [à parte] não vê que o cara pode querer se vingar?

12.Ta tudo bem. O que vocês fizeram não foi legal não, mas acabou que minha vida melhorou muito!

13. Bicho, você tem um harém aqui?

14.Ai! [gritou sentindo uma cotovelada de um irmão]

15. Ah é esqueci que ele não é chegado.

16.Ai! [nova cotovelada], pára de me bater!

17.Então cala essa boca seu idiota quer nos enrolar mais ainda?

18.Bem já chega [disse o Zé] quero saber uma coisa. Meu pai ainda está vivo? Não importa o passado, acho que foi tudo um plano de Deus para que eu viesse na frente e hoje tivesse poder aqui no Egito para lhes dar alimento.

19.Planinho complicado, hem? Não dava pra Deus simplesmente não deixar faltar os alimentos? Javé tem uma mania de dar umas voltas compridas pra fazer uma coisa que poderia fazer estalando os dedos.

20.Isso não importa agora. O que eu quero que façam é que tragam meu pai aqui.

21.Mas e a taça que eu roubei? Não vou ser castigado? Disse Beija-a-mim [e a todos], com expressão sonsa e com um dedinho na boca.

22.Você não roubou nada seu fresquinho, ela foi colocada lá só pra sermos pegos na Blitz, e o Zé poder se revelar para nós.

23. Ah, bom. Mas, pra que isso? Ta parecendo com Javé nas complicações. Pra que toda esta encenação de roubo de taça? Ele não podia simplesmente ter dito quem era realmente desde a nossa primeira entrevista?

24.Bem, isso lá é verdade.

25.Hei, hei, deixem de conversa fiada e me dêem cá um abraço [gritou Zé abraçando e beijando os irmãos].

26.Credo! [limpando os rostos] vejo que ainda gosta de um cheirinho de macho né?

27.Sabem como é que dizem: enterro de anão e ex-gay não existe, não é? Há, há, há!

28.Mas não falemos disso. Tragam meu pai e as suas famílias e venham morar aqui na terra do Egito, pois…

[Zé começa a cantar e a dançar]

1.“Aqui tem de tudo, É outra civilização, A mulher que quiserem terão”! Aqui sou amigo do Rei. Até a cama escolherão. Eu aqui sempre terei, Na cama meus amigos Gays! Aqui a existência é uma aventura de tal modo inconseqüente que a Rainha fica Querendo dar pra gente! Como eu não gosto: declino. Aqui comemos Suíno! [baixinho] É outra civilização. Vão depressa e voltem então!

 

 

                                              ***

[Jacu e os filhos a caminho do Egito param para acampar e dormir]

E assim fizeram os irmãos do Zé. Depois que contaram em sua casa tudo o que ocorrera, seu pai, Jacu, animado em rever seu primeiro filhinho predileto rumou com eles para o Egito. De noite teve uma visão onde Deus lhe apareceu dizendo:

1.Jacu! Jacu!

2.Aqui estou.

3.Eu sou o Eu Sou, o Deus de seu pai.

4.Quem?

5.El.

6.Mas não era Javé, ou o “Eu Sou”? Que droga é essa de El agora?

7.Ora eu sou quem eu bem entender, sou Deus e ponto. Ponho em mim mesmo o nome que quiser e posso ser o que quiser. Se eu quiser ser um mosquito eu posso! Se quiser ser um odre de vinho eu me transformo em um! Quem é você pra dizer o que eu devo ser ou como eu devo me denominar, vê se cala essa boca antes que eu te deixe mudo!

8.Calma, Senhor, também não precisa perder as estribeiras.

9.Bem, o que eu dizia mesmo?

10.Que o Senhor é o ‘El’ sei lá o que… Ah… O Deus de meu pai!

11.Ah é, pois então. Era isso: Jacu, Jacu!

12.Oi!…Oi!

13.Eu sou o Deus de seu pai.

14.Já sei, Já sei!

15.Pára!

16.Desculpe, mas o Senhor é muito repetitivo. Não sai dessa ladainha. Fala logo aí o que ta pegando que eu quero ver se durmo um pouco, chefia.

17.O que eu ia dizer, quando fui brutalmente interrompido, é para você não ter medo de descer ao Egito, porque lá eu farei de você uma grande nação. Eu descerei ao Egito e o farei voltar de lá e o Zé fechará seus olhos.

18.Pera, pera, pera… Num, num. Não vem não. Primeiro eu já estou a caminho do Egito então é evidente que não estou com medo de ir pra lá. Segundo eu não quero este negócio de grande nação não, que isso aí é só mais boca pra alimentar, chega de filho, agora sou adepto do controle de natalidade. E terceiro, e mais importante, que negócio é esse de que o Senhor vai pra lá e vai me fazer voltar? Não, não os meus filhos disseram que lá é “outra civilização”, um povo muito mais adiantado que estes nômades semi- bárbaros que é a nossa gente. Disseram até que lá tem prostitutas bonitas pra gente namorar! [piscando para Javé]. Se quiser volta o Senhor. Aliás, nem sei o que vai cheirar por lá. Lá é terra de outros deuses, outra religião, é melhor ficar por estas bandas aqui que é a sua praia. E num quero saber do Zé fechando meus olhos não. Quero-os bem abertos pra ver tudo que tiver por lá! Parece que o negócio no Egito é bão, veio!

19.Que saber? Faz o que você quiser. Mas depois se vocês derem com os burros n’água, e esta gente escravizar vocês lá, não venham choramingando me pedir ajuda não!

20.Beleza! Já posso dormir, então, hem? Dá licença?


[Javé então se retira visivelmente emburrado e olhando torto para Jacu]

 

 

Mephistopheles Pionus Maximilliani

Comente!

Deixe uma resposta

Siga-nos!

Não tenha vergonha, entre em contato! Nós amamos conhecer pessoas interessantes e fazer novos amigos!