Simplicíssimo

NÃO É SÓ O PEIXE QUE MORRE PELA BOCA

O jornalista Luiz Carlos Prates, que participava como comentarista do programa Jornal do Almoço, da RBS-SC, emissora afiliada à Rede Globo, em Santa Catarina, foi pro olho da rua.

A causa da demissão foram os infelizes comentários feitos pelo jornalista na edição do programa que foi ao ar em 15 de novembro passado.

Abordando o tema do aumento de acidentes nas rodovias estaduais, entre outras colocações com grande insight sociológico, Prates produziu pérolas ao afirmar que a culpa pelas fatalidades era dos "pobres", que tinham se beneficiado da popularização do automóvel, registrada durante a Era Lula. 

"Hoje, qualquer miserável tem um carro. O sujeito jamais lê um livro, mora apertado em uma gaiola que hoje chamam de apartamento. Não tem nenhuma qualidade de vida, mas tem um carro na garagem", afirmou o jornalista em frente às câmeras. 

Ainda de acordo com o sábio Prates, os acidentes seriam "resultado deste governo espúrio que popularizou pelo crédito fácil o carro para quem nunca tinha lido um livro".

As profundas declarações do jornalista causaram grande repercussão e o programa em que ele atua como  hidrófobo pode ser facilmente encontrado em websites como o Youtube.

Hoje, com o seu vale-refeição parcialmente dilapidado, já que ele ainda bate o cartão de ponto no Diário Catarinense e na Rádio CBN, Prates afirma que seus comentários teriam sido mal-interpretados.  

A notícia da demissão de Prates foi tema de uma reportagem publicada no Comunique-se, website dedicado a jornalistas, e está sendo veiculada hoje na grande imprensa e na internet. 

Caso você possa jogar no lixo alguns minutos de sua vida, prezado leitor, ou leitora, o comentário do jornalista pode ser acessado em: http://www.youtube.com/watch?v=uwh3_tE_VG4

Já vai tarde, reaça preconceituoso…

Thiago Fuschini

Comente!

Deixe uma resposta

Siga-nos!

Não tenha vergonha, entre em contato! Nós amamos conhecer pessoas interessantes e fazer novos amigos!

Últimos Posts