Simplicíssimo

As Viagens Etéreas e Psicodélicas Impressas no Éter Universal estão de volta!

É curioso: estamos de volta. Depois de uma longa pausa de 6 meses e 20 dias, o Simplicíssimo – que existe desde 25 de outubro de 2002 – está de volta. Curioso porque lá em outubro de 2002, nossa edição de número ZERO contava apenas com um Editorial, escrito por mim: tratava-se de uma Carta Aberta ao Futuro Excelentíssimo Presidente da República – O que eu quero e o que meus filhos querem.

Estamos voltando justamente depois das eleições que elegeram a primeira presidenta do Brasil. Uma mulher, Dilma Roussef, ocupará a partir de janeiro o cargo considerado por boa parte das pessoas como o mais importante dentro de nosso país. Aquela carta continua tão atual agora quanto era na época. Ainda quero o mesmo. Quero mais, é verdade, já que ali a inocência ainda dava suas cartas. Nas próximas semanas vou compartilhar aqui e em muitos outros meios o que necessitamos.

E aqui estamos, com 8 anos e 7 dias de vida, retomando uma jornada que, resumida em meu último editorial, contou com mais de 3700 artigos publicados por duas centenas de autores e mais de 30 milhões de páginas vistas em nossa história.

A pausa foi necessária e merecida, houve um motivo nobre: este então editor decidiu dedicar-se de corpo e alma ao pequeno Benjamin, nascido a 11 de maio de 2010. Nos últimos meses, minha esposa, Carolina, já estava em repouso absoluto devido a recorrentes sangramentos, e o tempo necessário para a manutenção e editoração do site faziam falta. Agora, com tudo em ordem, Benjamin crescendo firme, forte e feliz, decidimos retomar a Nau. Desta vez, não mais como editor, mas como colunista.

Um novo formato vos espera, caro Simplileitor: ao contrário do formato usual – de revista semanal – ao que todos estavam acostumados, agora teremos atualização diária. Cada colunista publicará seus artigos em um dia da semana. Veja abaixo os dias da semana com seus respectivos colunistas e colunas:

Segundas –

Rafael Reinehr + Frases de Amor, Flatos com Fedor
Mauricio Angelo + Convenções Sociais
Pedro Volkmann + I-racional
Mauro Rodrigues + Contos Missioneiros

Terças –

Marcelo Sguassabia + Líricas Bulhufas
Marcos Claudino  + Suburbanas
Lidia Livier + Hora da Leitura
Douglas Eraldo dos Santos + Fabulando

Quartas –

Frank Santos + Poesia a Toda Prosa
Tania Montandon + Literoucura
Rogério Ratner + Revolta das Sílabas
Clarice Villac + Daqui e de Lá

Quintas –

Marcos Pedroso + Liberdade Vigiada
Larissa Marques + Ciclo dos Símios
Simone Basilio + Fragmentos de Mim
Rodrigo Araújo + Rachadura da rotina

Sextas –

Sayonara Toledo + Olhar
Tatiana Kielberman + Partículas de Sonhos
Nilson Rosa Lopes + Play
Erika Fraenkel + Não tenho membros, tenho membranas

Sábados –

Thiago Fuschini + De olhos bem abertos
Jackson Franco + Letras prontas
Luc Ramos + Planeta Eros
Hans Henrique + Ensaios Sobre a Realidade
Maria Jose Silvas Caldas Fagundes + Historiando

Domingos –

Afonso José Santana + O Curinga
Larissa Marques + Tesão de Ouvido
Ronaldo Duran + A Crônica da Semana
Edweine Loureiro + Gaijin

Pois então, amigos, naveguemos. Solitários ou solidários, tanto faz, o importante é navegar. E como dizia o poeta Carlos Drummond de Andrade, em uma bela poesia que pode ser vista como uma crítica à sociedade atual e ao modo de consumo e produção capitalistas:

“Como pois interpretar o que os heróis não contam?
Como vencer o oceano
Se é livre a navegação
Mas proibido fazer barcos?”

Um fraterno abraço e até a próxima segunda-feira.

Rafael Reinehr
http://armazemdeideias.org

Rafael Reinehr

Comente!

Deixe uma resposta

Siga-nos!

Não tenha vergonha, entre em contato! Nós amamos conhecer pessoas interessantes e fazer novos amigos!