Simplicíssimo

A vida

Pus a vida pra dormir

Acomodei-a na boa cadeira

E então fui fugir

Construindo grave asneira


Desprezei-lhe a companhia

E nem a deixei seguir

Por mais que tanto a queria

Não a deixei agir


Cortei-lhe as asas

Arrebatei-lhe a fala

Diante minha tenra brasa

Resignou-se na sala


Pudesse devolver-lhe a cor

E beijar tua face

Ofertando-lhe a flor

E retirando o disfarce

Tania Montandon

Comente!

Deixe uma resposta

Siga-nos!

Não tenha vergonha, entre em contato! Nós amamos conhecer pessoas interessantes e fazer novos amigos!