Simplicíssimo

Maria Rita

Mulher independente , Maria Rita estava acostumada a ser dona do próprio nariz e tomar as rédeas de sua própria vida.
Morava sozinha desde os dezessete anos e pagava sua conta muito bem obrigada. Morando atualmente num apartamento descolado num bairro ate que bem localizado, tendo como ótima companhia sua gata babel.
Mas ultimamente Maria Rita vinha se sentindo carente desde que João Vitor a trocou por Silvia Regina, uma dondoca que mal completara 25 anos e exibia curvas perfeitas num manequim 38. Aquela sirigaita chegou na repartição a pouquíssimo tempo e já subiu de cargo três vezes. Maria Rita desconfiava do por que, não que estivesse com dor de cotovelo e coisa e tal.
Meio cheinha, usando manequim 46 e tendo passado dos 35, Maria Rita sabia que era uma mulher bonita, atraente e … Boa de cama
Mas aquela noite seria diferente. Finalmente Carlos Antonio a convidou para sair após semanas de paquera a distancia. Não que fosse de esperar pela iniciativa masculina mas, devido ao ultimo romance e uma ligeira crise pré-quarenta, sentia-se insegura e Carlos Antonio era o cara.
Levemente iluminado o apartamento tinha um suave aroma acanelado e uma musica aconchegante. Às 20 horas ele chegou, elegante e sedutor, levou-a para jantar e a noite terminou entre os lençóis de sua cama king, sem promessas de amor. Tão somente a febre da paixão (ou tesão, tanto faz).
Ao acordar, com babel a lhe lamber o rosto, Carlos Antonio já não estava mais l. não havia bilhetes. Nada.
Dia seguinte a noticia:
– Você viu? Carlos Antônio foi transferido para outra cidade.
– O quê? Como? Por quê?
A verdade é que Maria Rita ficou chocada, aliás, decepcionadíssima, ultrajada, sentindo-se jogada fora como uma camisinha usada.
– Nunca mais! Eu juro. Nunca mais quero saber de homem. Minha casa será meu monastério e meu corpo um templo onde homem nenhum voltara a entrar.
E assim Maria Rita se entregou á espiritualidade, dedicou-se á meditação profunda e não mais se depilou ou maquiou, deixando a natureza seguir seu curso até que…
Certo dia alguém bateu a sua porta. Ele era incrível, tinha os cabelos compridos e não fazia a barba e curtia um barato de paz e amor e trazia uma filosofia de natureza e… E rolou ali mesmo, dois peludos pelados se amando na sala como dois animais.
A partir daí Maria Rita largou a carreira estável e virou hippie, encheu seu monastério de outros peludos e dava uns pegas nuns beckzinhos. Nunca mais teve que se preocupar com a sociedade frustrada lá fora preferindo ser uma metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo.

cronicasdewilshire.blogspot.com/

Priscila Magalhaes

Comente!

Deixe uma resposta

Siga-nos!

Não tenha vergonha, entre em contato! Nós amamos conhecer pessoas interessantes e fazer novos amigos!

Últimos Posts