Simplicíssimo

Quando chegares

Quando chegares

Luiz Maia

Quero lembrar o sabor que tinhas…
O gosto de tua boca… a imagem do teu quarto…
O teu sorriso doce… o gozo de nossos amassos
Os teus beijos… o teu corpo dócil à mercê de minhas mãos…

Não sei se voltarás a saciar o meu desejo
Só sei que te espero
Se tu vieres para mim, linda e louca
Os meus braços se estenderão para ti…
E como num sonho eu beijarei a tua boca.

Quando meus olhos te vêem, aguça o meu desejo…
Chegues quando chegares,
Não posso mais viver sem o calor de seus abraços
Quando longe tu estás, minha alma se apavora
Minha mente a transpirar pecado,
Exala a figura estranha do desejo encarcerado…

Recife, 25 de dezembro de 2005

Luiz Maia

Últimos posts