Simplicíssimo

Obama Não!

Agora só se fala nisso: Obama! Obama! Barack Obama!

Eu quero falar “doutra” coisa. Da desilusão no coração de todos nós radicais, antiamericanos, ultra-esquerdistas, neo-nazistas etc. Não era para Obama ganhar! Isso foi uma facada no coração vermelho reaquecido pelo governo imbecilizante de Bush!

Já pensou no perigo que a esquerda no mundo corre? Ora, todo o mundo apoiou Obama, o achava charmoso, inteligente, vanguardista. Era o sonho das esquerdas no mundo, dos artistas, dos poetas, dos modernos, uma espécie de Gabeira, e (como sempre) esperava-se que tudo desse certo e Obama perdesse! Só assim poderíamos dormir tranqüilos, com o ódio docemente cultivado em relação ao “império” americano intacto. Poderíamos acordar amanhã e chamarmos os americanos de caipiras, conservadores, reacionários, fazedores de guerras, idiotas e (o auge) imperialistas!!!

Ahhh… Como era bom odiar o Bush… Um imbecil nato. Dava-nos mil razões para justificar nossos discursos, nossas convicções. Fazia guerras, falava asnices, era insano e desengonçado. Era feio, apoiado por multinacionais. Era o presidente americano perfeito para todos os que não são americanos e querem justificar suas derrotas e incompetências culpando o “grande satã”, o Golias do Ocidente, o Tio Sam que come criancinhas.
Mas não! Uma tragédia aconteceu! Amanhã não haverá culpados para culpar! O carrasco virou príncipe encantado, simpático, elegante, “cool”! Quem poderia ser contra Obama!? Quem poderia chamá-lo de porco chauvinista imperialista!? Quem teria a ousadia de o acusar de ser a imagem do modelo americano hetero-dereitista-branco-capitalista de ser e viver? Agora estamos perdidos! Quem a Veja vai estampar na capa como o líder-branco da tribo capitalista? Quem a Caros Amigos irá pintar como o diabo em forma de presidente? Acho que até Bin Laden ficaria sem jeito de jogar aviões contra a Casa Branca com o Obama lá dentro, lendo poemas para suas filhas. Se Obama andasse nu no sul do Líbano, o Hezbollah não teria coragem de jogar uma pedra na testa negra do presidente-havaiano!
Obama fez o que parecia impossível, o que anos de guerra fria não conseguiram, o que os 700 bilhões de dólares de socorro ao mercado foram incompetentes de comprar, o que todas as guerras nas quais os EUA mergulharam não conseguiram conquistar. Obama, em uma só tacada, de uma só vez, acabou com estigma de racista dos americanos e pôs fim (ou ao menos deixou extremamente letárgico, sem graça e encabulado) ao espírito antiamericano que sempre teve lugar no mundo do século XX , ao ódio que se mostrou nas comemorações tácitas dos que acharam algum prazer no 11 de Setembro e na antipatia que se alastrou devido à guerra contra o terror de Bush!

Obama acabou de empurrar os EUA (e por tabela toda a plebe planetária) para o século XXI. É o fim do esquerdismo burro. É o fim da direita burra. Não há mais espaço para as explicações simples, simplistas, simplórias.

Agora será preciso pensar. E se Obama fizer o que prometeu, recriará a liderança americana no mundo, em uma Era em que para ser contra ou a favor não poderemos apelar para o “império branco belicista”, não poderemos culpar o “sistema”.

Acho bom acharmos outro bode expiatório! Eu sugiro o Irã ou o Zimbábue. São países menores e mais frágeis para brigarmos, pois contra os EUA com Obama, vai ser difícil!

Washington Lemos

Últimos posts

Siga-nos!

Não tenha vergonha, entre em contato! Nós amamos conhecer pessoas interessantes e fazer novos amigos!