Simplicíssimo

Insolação

Astro Rei, Rá, Huitzilopochtli, Hélio, Apolo, ou simplesmente o sol, aquele que permite fotossíntese, aquele que nos ilumina. O senhor das estações… Será que no senso comum ele é tangível? Será que é possível dá-lo a alguém?

Pseudomístico – a ciência do cotidiano 9/x

Passeio no mundo sem sair da minha cama, controlando ondas de radiação ultravioletas.

Violentos Haikais – série II / 9/x

Brasil (mau) exemplo para o mundo
presidente Sujismundo
chefe do submundo

Insolação

A vida solucionando a vida.

Um fotógrafo canadense que está morando em Dubai faz uma série de fotografias tendo o sol, aquele que nos ilumina, como motivo (foto de capa).

Em suas fotos as pessoas manuseiam esta mini-estrela sem queimar o corpo.

Em um efeito lindo, ele resume a ilusão do ser humano, a possibilidade de nossos feitos serem ou parecerem iluminados ou grandiosos como o sol.

Ninguém dá a lua, o sol… Ninguém deveria ser dono da luz, da água, de remédios ou comida. Ninguém sabe o futuro, o passado, o presente… todo mundo está atrás do que é melhor para si mesmo, ainda que o melhor para si mesmo seja ajudar o outro.

Amanhã vai ser pior, mas a ilusão do amanhã vai ser melhor move o mundo.

A tecnologia veio para ficar, não estou atrás de modelos velhos de mundo, olhar para trás não é um norte e sim uma forma de não o repetir.

Enquanto ficarmos atrás de Oásis não levamos água para o deserto (e nem deveríamos) … Somos muitos e o mundo vai dar um jeito de resolver isto. Não tem para ninguém… dinheiro não compra natureza, compra um lugar no céu… (ou em Marte) …

Enquanto não partilharmos de um sistema onde a vida seja o princípio de tudo, viveremos de exaurir a natureza (incluindo nós seres humaninhos), em prol de gente que vive em um mundo artificial, onde se pode pegar o sol ou chegar até deus.

Neste mundo artificial onde tudo de valor e nada tem importância. Pague e leve é muito pesado para o planeta e para as pessoas que a sociedade percebe como proletários, que hoje engrossam exército de reserva de serviços*, em países como o Brasil em eterno desenvolvimento de tecnologias agrícolas e comerciais, sem pesquisa e sem perspectiva.

Mercadores de sonhos, mercadores da morte**.

O mundo é complexo, as soluções são complexas… não existem salvadores da pátria, muito menos salvadores com armas. O que faz a diferença no mundo é diferença de tecnologia e não uso de tecnologia dos outros.

Isto porque vivemos às avessas, porque sem pão e água, a vida na terra é impossível.

De uma forma mais amena, podemos pegar o sol e a lua para contemplar e entender que o que move o mundo. Parece óbvio, mas muita gente passou anos estudando para entender como isto (e todo o resto) funciona.

*proletários serviam primeiro como provedores de soldados (sua prole), depois para formar um exército industrial de reserva para baratear os custos de produção e agora, com o fim das indústrias em alguns países, servem como exército de reserva da área de serviços, visando minimizar o custo dos serviços a custa da miséria da população.

**a acumulação primitiva de capital se dá em bancas (atuais bancos) e através de mercadores – Marx, Taylor e muitos outros autores. Inclusive a região de Boston nos Estados Unidos se desenvolve através do comércio.

Pedro Armando Furtado Volkmann

Comente!

Deixe uma resposta

Siga-nos!

Não tenha vergonha, entre em contato! Nós amamos conhecer pessoas interessantes e fazer novos amigos!

Últimos Posts