Simplicíssimo

Te Larguei Cela Sete

Um filme, que demonstra o porquê não deve existir a pena de morte visto por duas abordagens. Coloquei dois textos nas duas colunas que tenho atualmente. Deixo para você decidir onde eles se encaixam melhor.

Pseudomístico – a ciência do cotidiano 17/x

Quando tratamos de CYMK e tons infinitos não existe texto que contemple.

Violentos Haikais – série II / 17x

Entenda a burocracia
em si não contém o mal, é normal*
mal é quem aplica as leis, amacia**

Te Larguei Cela Sete.

Para mim, O milagre na cela 7 é um excelente filme que poderia virar uma franquia. Digo isto porque cada parte dele tem um longa-metragem por trás. A história de uma vida usada como bode expiatório em várias situações da vida. Pessoas sem coração que usam de uma pessoa incapacitada para resolver seus problemas com o mundo. Por trás de muitos rostos, por trás de cada cena uma prova que a sociedade é canalha.

Um pai que não assume uma criança: se resolve com um casamento arranjado. Uma morte leva o fruto indesejado para uma casa sem condição.

A partir de uma morte acidental chegamos a outra faceta da humanidade, a desnecessária busca de culpados*, achar uma causa única para os males ou a bondade no mundo. A morte como solução para as nossas amarguras. Não importa o que aconteceu, importa uma razão para acreditar. Mesmo que se tenha razões suficientes para entender o que aconteceu.

Em um lugar com seres desprezíveis na sociedade a morte pode ser ainda mais cruel. Espancar um suposto assassino, sem direito a defesa. A punição vista como solução. Mesmo entre os que foram punidos.

Crimes hediondos: um matador da própria família, um assassino sem motivo, além de vários outros bandidos que cometeram crimes contra pessoas comuns. Seriam estes, os que são a escória da sociedade? Ou quem determina a morte de milhões de inocentes, como os poderosos do filme?

Será que enganar o vilão é a solução? Locupleta-lo com a falsa sensação de vingança? Entregar outra pessoa no lugar de um inocente, mesmo que por vontade própria? Assim, de qualquer forma, sem que esta pessoa busque ajuda psicológica?

Se suicidar é uma fuga, um estado de consciência ou um assassinato cruel? Um suicídio nunca é individual: todas pessoas em volta morrem um pouco quando alguém se suicida.

Como caracterizar um suicídio? Será que sair às ruas sem máscaras, não seguir a ciência ou não acreditar na mídia não seria uma forma de tirar a própria vida?

Seria o incentivo ao suicídio um crime hediondo? Dar mal exemplo, andar sem máscara, promover aglomerações e culpar os outros pelos males do mundo é o pior crime do mundo. Mata milhares, entristece milhões.

E o vilão, culpado por mortes relacionadas por sua ira, ficará para sempre impune como no filme, por que é poderoso?

Antes de comentar ou fazer seu veredito sobre este texto, leia a segunda parte “Me largue na Cela Sete”, com outra versão sobre a linda história do Memo.

Foto de Prateek Katyal obtida no site Unsplash.

Pedro Armando Furtado Volkmann

Comente!

Deixe uma resposta

Siga-nos!

Não tenha vergonha, entre em contato! Nós amamos conhecer pessoas interessantes e fazer novos amigos!