Simplicíssimo

À espera do próximo passo.

Quando pensamos que acabou
Surge algo que se parece com nada
O estomago congela

Expectativa pelo próximo movimento:

Movimento que tem tanta chance de acontecer
Quanto de não acontecer
Várias voltas me dizem
Que nem sequer houve o primeiro

Mas se houve um aqui dentro
Já há motivo de se lamentar
E o pior de tudo isso
Há então motivo para se esperar

Esta espera cadeia
Grilhão inquebrável encerra o pensamento
Na ponta da corrente a bola de ferro chama-se Esperança!
Pesa pés e mãos, coloca um nada como sentimento

Esperança desesperada
Esperar no caos não é mais do que isso

Meu único inútil alimento

É te provocar.

Marcos Pedroso

Comente!

Deixe uma resposta

Siga-nos!

Não tenha vergonha, entre em contato! Nós amamos conhecer pessoas interessantes e fazer novos amigos!