Simplicíssimo

O pouco que sobrou

O ano terminou. Mais,ou melhor, menos um. E a gente vive pra se surpreender. Ok! Quer a verdade?! Meu final de ano foi um saco, juntamente com o natal…nada de melhor, nada de diferente, sempre os mesmos rostos com essência triste e sem transparência, porque adoram esconder sua própria tristeza de si mesmo.

Não fiz nada que mudasse minha vida ou o meu modo de ver certas coisas no final deste ano. As coisas se reciclam por si só, é preciso só um pouquinho de calma. E eu, que sou impaciente, me frustro. O tempo me frustra, a cada dia que passa. Ele não me contraria, sei exatamente o que acontece comigo quando fico sozinha, eu e o tempo, que saco! Que me custaria ter nascido um pouco diferente deste sistema singular á que eu me adaptei?! Ah!nem sei…tudo gira em torno de algo que não tem utilidade hoje em dia, e eu me fecho num mundo, e novamente ponho os fones de ouvido onde de fato eles devem estar. Ninguém precisa entender, cada com sua própria vivencia super significativa.

Prefiro o que vem de dentro. Anos de ouro, com pessoas sensíveis, sem brigas ou discussões ou egoísmos. No final das contas, mentir é fazer com que a verdade de fato exista. Deixe estar, e ai, quem sabe amanhã ou depois ,tudo se esclarece. Não temos pressa, porque tempo não existe mais, é só mais um mestre, é só mais uma ilusão, um sedativo, uma droga altamente sutil.

E o que não há de ser sutil nos dias de hoje?! As coisas Adam assim, sutis, tudo acontece dentro de encanamentos, por debaixo dos panos, através de tecidos finos e cumpridos. Nada muda assim, tão de cara e tão constantemente.

Sei lá. Acho que é o stress, cansei de ser alguém que não diz nada do que tem a dizer. Cansei de as coisas demorarem tanto pra acontecerem, cansei de sonhos e nuvens de algodão, eu sou assim e quero tudo aqui e agora, e por isso, me frustro tanto, porque nada vem do acaso, e porque acasos as vezes absorvem fracassos que de fato eu não gosto de lembrar que absorvi. Se o passado me dói?! Não. O ano que passou me trouxe vivencias inéditas, pessoas exclusivas, que me causam ciúme, ou vontade de sair gritando na rua, não se sabe porque, ou de que surte essas vontades, eu sou egoísta, e alem de tudo meio afetada.

Liga pra isso não. São os tempos que não param de mudar, enquanto eu fico aqui parada, esperando meus cabelos crescerem. Tudo gira em torno de algo que é imutável. E tudo muda porque quer ser imutável . afinal de contas, estamos tontos e assim vamos ficar cada vez mais, de tanto girarmos.

Ah, que canseira. Ar puro, sabe onde encontrar?! Medo do futuro?! Não, ainda vou me redimir, ainda vou e aliar e fechar ambos os olhos, afinal de contas, já me cansei de ser a primeira a saber, e a ultima a sair . cansei de imaginar . cansei de tantos gritos e de tanto caos. Cansei de ouvir desaforos. Cansei de gente cansada. Cansei de musica lixo , cansei de ser legal e imaginar o que há de melhor pra se imaginar . cansei de dizer feliz ano novo e blábláblá. De que vale tudo isso, se vamos repetir todas as atitudes atrozes em menos de uma semana?! De que vale dizer tudo o que dizemos na hora da ceia, se depois, as brigas haverão de continuar?! Porque fingir?! Porque não ser o que se é?!

Eu estou e sou aqui e agora. Eu queria sim ser rica, e sumir, sozinha. Eu queria que as coisas e as pessoas fossem diferentes, mas o mundo quer que eu seja diferente, e de fato, vou me tornar o que?!

Não! Não sei, não quero saber. Cansei de silêncios embaraçosos. De agora em diante só vou embrulhar e dar minha poesia a quem merece. E não é todo mundo…e é quase que ninguém.

Tenho de me decidir, tomar um trem e largar meu grito por ai. Ou, devo calar.ou talvez, comprar um carro.quem sabe eu devia parar de escrever e dizer pro tempo ir á puta que o pariu, e dizer feliz 2007 pra todo vivente que eu encontrar na avenida. Quem sabe eu devesse pedir perdão á ela, porque meu coração dói, e da mesma forma minha consciência.  de pensar que eu suspiro… de pensar que ela não!

Deus do céu, que paranóia! Pra onde um ser feito eu haverá de ir?! Ando condenada a viver da mesma forma. Tolerando.engolindo sapos costurados de moedas.ah, que seja então…

Não, não vou esperar pelo tempo certo, vivo esperando pelo tempo certo! E ele não existe.

E se tudo é tão distante e ilusório, então, pra onde devo ir?!

Cansei de procurar o pouco que sobrou. Cansei de te procurar. Cansei.

E suspiro…

Transpiro…

Não sinto mais minhas costas…

Que vida…

E o ano terminou, e novamente recomeçou. É a velha história do ciclo.

Meu Deus! E eu vou conhecer tanta gente! Chega a dar medo.

E as pessoas haverão de me conhecer…

Uma forma de consolo, é parar de pensar.

Ser otimista, coisa que eu não conseguiria neste exato momento. Datas decisivas me matam.

Esta situação toda me mata. Pai, escola, trabalho,separar vidas de documentos,separar pessoas de situações, separar e fazer as honras da casa , depois de tanto xingamento.

Cansei de procurar o pouco que sobrou. Cansei de dizer que nada nunca vai faltar, e que tudo vai passar.

Depende de mim e de ti decidir o que passa e o que não passa!

Quero respeitos humanos e direitos e deveres cumpridos!

O que queremos?!

O que nos falta?! O que nos falta pra que a dor passe?! Pra que assim, pra que ser superficial?!

E ainda me acusam de viver num mudo que não é este. Depois de sentir dor , sabemos que o nosso mundo é mais seguro!

E como não haveria de ser?! Não vejo mundos melhores, e não tento mudar este , em que ainda piso, estas ruas, este cheiro, estes rostos tristes! Isso me dói, mas eu preciso compreender que não há mais nada a fazer.

Cada um deve fazer o que lhe cabe. Cabe a cada mente pensante, viver  um pouco de altruísmo. Não a mim, não a ti. Cabe a nós.

Portanto, não há nada mais a se fazer , a não ser crer no que há pra ser almejado.

Eu não queria ser quem sou as vezes. Mas só as vezes, pois creio na minha auto energia ou sei lá como poderia chamar todas essas coisas que a gente tem dentro da gente.

Ando compreensiva. Não se aproveite. Ouço musicas que nunca ouvi, musicas que tocam no rádio…não nego que odeio. Não nego que, eu entendo.

Algumas coisas a´te que não são assim, tããããão vazias! É só olhar em volta, pra perceber que flores desabrocham e crianças nascem a cada instante.

É…

Depois, a gente sorri…e respira fundo.

A gente ta vivo.

E depois que crê na mentira…ela vira verdade!

 

*não procure mais o pouco que sobrou!

Maria Ana Maioli

Últimos posts

Siga-nos!

Não tenha vergonha, entre em contato! Nós amamos conhecer pessoas interessantes e fazer novos amigos!