Simplicíssimo

Durma com os anjos Kobe.

Dormir ou não dormir eis a questão. Ser o melhor ou ser suficiente? Será o esporte uma diversão para todos ou esporte pode também não ser saúde?
Dormir ou treinar? Como se pode viver melhor?

Pseudomístico – a ciência do cotidiano 29/x

Muros de fogo que protegiam a humanidade foram transformados em segurança de dados.

Violentos Haikais – série II / 29/x

Economia rima com dólar alto
A boa escrita para o ministro hipócrita
Ele com Offshore e o povo que chore

Desastraduções III

Sono curioso
quanto sei
estofado…

Durma com os anjos Kobe.

Um dos clubes que eu treinei judô tem um projeto capitaneado por pessoas supercompetentes na sua direção. Na Olimpíada de Tóquio foram sete atletas sogipanos.

Ouvindo um podcast com a Mayra Aguiar, lembrei de uma discussão eterna: esporte de alto rendimento é saudável?

Segundo a Mayra, não. Pelo que eu entendo, também não. O ganho de massa muscular depende, basicamente de um período acima do peso. Vários ganhos musculares exigem inúmeras vezes de algum ou muito sobrepeso.

Cheguei a treinar 6 horas por dia, quem me conhece profundamente sabe o quanto reclamo dos meus encurtamentos musculares. Fazia parte do jogo ser forte. Não fossem os músculos alavancas, não teria prejuízo algum sua diminuição. Passar uma cerca em uma fazenda, para mim continua sendo um drama (estou me desencurtando há 5 anos).

Não culpo os treinadores, a verdade da época em que eu treinava era esta. Todos eles faziam excelente trabalho.

Para ser um atleta de ponta tem que treinar muito, muito, muito. Tem um vídeo do Kobe Bryant que ele explica como fazer:

A morte dele foi uma infelicidade para o mundo do basquete, não teve relação com a forma que ele treinava (sem pesquisar a fundo todas as relações que fizeram ele estar naquele helicóptero naquele dia). Um cara excepcional, que se espelhou no melhor do de todos os tempos. Este texto também é uma homenagem para um dos melhores jogadores de todos os tempos.

Qual sua solução para ser o melhor do mundo?

Basicamente, não dormir!!! (vendo o vídeo, mostra que ele deveria dormir de cinco a seis horas por dia)

Por outro lado, existem estudos que mostram que dormir demais ou de menos pode trazer diversos danos à saúde da pessoa:

https://noticias.uol.com.br/saude/ultimas-noticias/redacao/2017/07/24/dormir-pouco-faz-mal-para-coracao-e-ate-para-pele-saiba-como-melhorar-sono.htm

https://extra.globo.com/noticias/saude-e-ciencia/dormir-mais-de-dez-horas-por-noite-eleva-risco-de-doencas-25213850.html

De qualquer forma, avanços nos estudos de educação física fazem recordes serem pulverizados, os jogos mudam para continuar os mesmos e os Pelés dos esportes (Edson Arantes do Nascimento (o próprio), Tom Brady (futebol americano), Michael Jordan (basquete), Usain Bolt (100 e 200 metros rasos), Teddy Riner (judô) não poderão ser alvo de comparação, pois épocas diferentes têm atletas diferentes.

Cada vez mais, está mais difícil virar um atleta de ponta. Grande concorrência, lesões, falta de pa(i)trocínio etc. Cada vez mais os grandes atletas são uma força de venda dentro e fora do seu esporte.

Será que a máxima, se é de graça tu és o produto pode ter este acréscimo: “se você é patrocinado o produto é você?”

Ou “se você trabalhar 18 horas por dia em uma função valorizada pelo capitalismo, você pode ser um escravo rico?”

Como tudo, as questões são muito complexas para serem discutidas em todos os livros e artigos científicos a humanidade, imagina em um texto de poucas linhas.

O que eu tento fazer é dormir bem, para estar bem acordado e saudável para problematizar tudo, até uma das áreas que eu mais gosto, os esportes, mas sempre me pergunto, esporte de alto rendimento é esporte ou uma forma extrema do sistema que a gente vive?

Pedro Armando Furtado Volkmann

Comente!

Deixe uma resposta

Siga-nos!

Não tenha vergonha, entre em contato! Nós amamos conhecer pessoas interessantes e fazer novos amigos!