Simplicíssimo

Infanticídios Capitalistas

O mundo é assim: nasça milionário ou arranje uma forma de virar o mais cedo possível, assim ao invés de passar fome você pode fingir ter pena de quem está nesta situação.

Pseudomístico – a ciência do cotidiano 29/x

Enquanto o trabalho que é exercido sobre um corpo produzir uma variação de energia cinética na velocidade de enriquecimento de poucos, nunca o converteremos em energia motriz da felicidade.

Violentos Haikais – série II / 29/x

Ir na Onu sem ônus
Talvez em 20 anos
Brasil pária do mundo Insano

Desastraduções II

As a gift, can past tell be free too?

Infanticídios Capitalistas

Este texto não é sobre uma fadinha, este texto não é sobre a menina argentina desta matéria:

https://www.uol.com.br/esporte/futebol/ultimas-noticias/2021/09/20/argentina-desbanca-neymar-e-messi-e-fecha-contrato-com-a-nike-aos-8-anos.htm

Este texto não é sobre esporte e este texto não é sobre a necessidade de ganhar dinheiro dentro do capitalismo, para poder aproveitar sem gerar riqueza para o sistema. Sair da roda viva. Quanto mais cedo se entra, mais cedo se gira a roda (da riqueza alheia).

Este texto não é sobre pais e filhos, sobre a oportunidade de gerar riqueza (para os outros) ou de esperar seu filho crescer e talvez perder a oportunidade de sair da Samsara.

Este texto não é sobre o paraíso ou sobre os escolhidos.

Este texto não é sobre espaços masculinos e femininos (não tinham escolinhas de futebol para meninas de seis anos nas proximidades de sua casa, então por Felicitas, os pais a matricularam em escolinhas para meninos).

Este texto não é sobre sonhar grande ou super conquistas, não é um texto sobre ser o melhor.

Este texto (não) é sobre o capital ou sobre suas mazelas.

Este texto é para mostrar que nem tudo são flores e todas as crianças deveriam poder fazer o que quisessem sem depender de contratos com a Nike.

Este texto é para mostrar que enquanto poucas pessoas são escolhidas pelos gigantes do capitalismo, muitos são escolhidos pelas milícias (máfia) ou pelo tráfico de entorpecentes ou de menores.

Muitos nem tem a chance de serem escolhidos e morrem de fome ou de doenças facilmente tratáveis.

Este texto é sobre a vida e a não obrigação de atrelá-la a boletos.

Foto de capa de Celyn Kang obtida no site Unsplash.

Pedro Armando Furtado Volkmann

Comente!

Deixe uma resposta

Siga-nos!

Não tenha vergonha, entre em contato! Nós amamos conhecer pessoas interessantes e fazer novos amigos!

Últimos Posts