Freitas, ah Freitinhas!

O Simplicíssimo por muitas vezes apresentou editoriais bastante negativos, nebulosos. Percebi isso agora há pouco, quando ia justamente começar a escrever sobre a onda de violência na periferia de Paris. É curioso como a desgraça humana chama atenção, vira notícia.

O Simplicíssimo por muitas vezes apresentou editoriais bastante negativos, nebulosos. Percebi isso agora há pouco, quando ia justamente começar a escrever sobre a onda de violência na periferia de Paris.

É curioso como a desgraça humana chama atenção, vira notícia. É certo, o nascimento de 5 filhotes de uma gata não serviria de notícia, exceto se esta gata tivesse dado à luz a 28 gatinhos ou se um dos filhotes aos quais ela havia rebentado fosse um cãozinho.

Estresse.

Acabei de hum comer um frango xadrez e de sobremesa hum dois bombons. Água para acompanhar.

E o que dizer da gateada do juiz (?) Márcio Rezende de Freitas no jogo Internacional e Corinthians? Está mais do que na hora de ser obrigatório o uso dos meios eletrônicos (televisão) para tomar decisões polêmicas e difíceis do futebol. É lamentável que a roubalheira continue correndo solta, beneficiando – SEMPRE – os clubes do eixo Rio – São Paulo. (talvez esta afirmação possa ser tendenciosa, pois está sendo escrita por alguém de fora do eixo, mas creio que os razoáveis de plantão hão de concordar).

Mas e aquela guerra civil lá na França? Que barbaridade! Nós aqui somos civilizados demais. Há muito nosso povo, maltratado que só ele, já poderia ter tomado atitude semelhante ou até pior. Disse poderia, não disse deveria. H-hm.

Uããã… Que vontade de dormir. Preciso de férias. Alguém se dispõe a assumir o editorial da próxima edição? Que tal um rodízio entre os colunistas, como já fizemos anteriormente em outra ocasião?

O fato é: está muito quente por aqui e o desânimo bate forte. Ai! Que gastura… Tomei muito café na segunda.

!etnaid arp sárt ed éta rel arp áD! siamed átse omissícilpmiS od oãçide atsE

Mr. Mxyzptlk agradece!