Desejada Volta

Queria tanto poder novamente
afugentar-me em seus braços
Sentir o calor ardente dos seus beijos…
E o suave aroma da sua pele.

Queria tanto poder novamente
afugentar-me em seus braços
Sentir o calor ardente dos seus beijos…
E o suave aroma da sua pele.
Ouvir aquelas palavras de amor,
ditas no momento de angústia.
Poder tocar a mão amiga que me levantou,
nos momentos de fragilidade.
Queria olhar seus olhos,
pedir-lhe perdão
e perguntar se realmente o erro foi meu.
Suplicar-lhe somente uma coisa:
“Volte!”
Sinto saudades de quando olhávamos as estrelas.
Nosso amor refletido em cada uma delas…
Prometo fazer tudo diferente.
Não quero ser aquele débil
que a fez esperar por mim horas e horas na gélida madrugada.
Prometo valoriza – lá.
Aceitar seus conselhos.
Ama – lá desesperadamente nas ínfimas coisas… Nos pequenos gestos
Que estas juras não sejam em vão.
As estrelas já não refletem o nosso amor.
Estou só.
Ainda consigo ver ser semblante nelas,
mas se desvanecem uma a uma…
Não quero ver escorrer nenhuma lágrima dos seus olhos…
Meigos olhos.
A não ser que seja derramada por amor,
realmente por amor!
Prometo fazer tudo valer a pena!
Ainda amo…
Desse amor me alimento.
Contemplo a magnitude das estrelas
Não quero perde – lá!
Não vá embora!
Volte
Volte comigo!