Incendiário

Eu não vi os expoentes de minha geração
Serem destruídos pela loucura
Minha geração sequer tem expoentes

Nunca singrei em um Bateau Ivre
O trêm de poltronas azuis avança lento
Apenas em meus sonhos,em meus sonhos… Eu não vi os expoentes de minha geração
Serem destruídos pela loucura
Minha geração sequer tem expoentes

Nunca singrei em um Bateau Ivre
O trêm de poltronas azuis avança lento
Apenas em meus sonhos,em meus sonhos…

Nenhuma revolução contou comigo
O sangue,a poeira,as bandeirolas vermelhas
Imagens projetadas…

Ah!Não ter uma ditadura pra derrubar!
Ah!Ser livre pra poder fazer tudo
E acabar não fazendo nada

Já tenho o martelo
E a filosofia também
Só me falta um alvo
(que não seja eu mesmo)

Algum messias louco me tire daqui
Algum messias roto,vomitado
Que me tire desse estado
(de latência)
Algum messias…

Alguma auxina,alguma estricnina
Alguma ideologia na contra-mão
Que me tire do chão
Ou me enterre de vez nele

Que eu já tô muito adestrado
Que eu já tô muito travestido

Mas quando diante da mesa posta
Refuto as idéias
De que a vida é uma bosta
Bebo um bom gole de vinho
E recobro a lucidez…
Merda!Recobro a lucidez!