Coluna humanitária

Capitalista, comunista… Certa vez li que “Toda manifestação é política.” Sendo assim, não tem como ser um “apolítico” e querer gerar algo disto. Enfim, apolítico para com assuntos ligados a não remuneração e revolução humanitária. Bom, o que vejo são pessoas que criticam o capitalismo, mas ganham muito em cima dele e capitalistas que ganham muito também… Capitalista, comunista…
Certa vez li que “Toda manifestação é política.”
Sendo assim, não tem como ser um “apolítico” e querer gerar algo disto.
Enfim, apolítico para com assuntos ligados a não remuneração e revolução humanitária.
Bom, o que vejo são pessoas que criticam o capitalismo, mas ganham muito em cima dele e capitalistas que ganham muito também em cima de uma humanidade frágil.

Capitalistas que inventam mil expedientes para provocar guerras alegando falácias, como motivos para atingir seus principais objetivos, dentre eles se destaca o “ouro preto”.
Toda guerra tem um propósito, e as principais guerras, daqueles que se julgam defensores da liberdade, tem o propósito de gerar mais dinheiro à custa de vidas que foram manipuladas de forma fria e deliberada.
As pessoas que morrem nas guerras provocadas pelos políticos, são pessoas que vivem na miséria que tiveram seus sonhos estilhaçados, tendo como fator principal o desdém de seu governo que preza apenas o bem-estar da própria família e dos outros ligados aos esquemas que contribuem para que eles se mantenham no poder, dentre tais amigos e etc.
Veja você, um filho de parlamentarista vai para o Iraque?
Filho de presidente quer se arriscar no Vietnã?
Quem os sustenta no poder são pessoas fragilizadas que tiveram a consciência deturpada pela sociedade pela qual habitam que foram manipuladas e pensam que lutam por causas justas e ideais humanitários, quando na verdade o real motivo por trás de toda falcatrua é a fartura deles, dos poderosos por assim dizer.

Se for para escolher um lado, escolho o lado daqueles que ganham em cima da sociedade capitalista! Pelo menos este lado tenta conscientizar uma nova geração e que se esta, não obcecada pela ganância de deter cúmulos de riquezas, poderá vir a causar revoluções, priorizando acima de tudo a paz e a não-violência!
Entenda a moral dos filmes Fight Club e fahrenheit 9/11, por exemplo.
Extraia o que é bom e priorize movimentos sociais que lutem pela paz.
Se o socialismo mata e o capitalismo se destrói, crie sua ideologia baseada nos princípios de não-agressão, porque de olho por olho e dente por dente, o mundo acabara cego e sem dentes. Já dizia Gandhi.