Simplicíssimo

fim de caso

             …e é sempre assim. Namoro antes de acabar vira uma montanha-russa: elogios, carinhos e cuidados em superlativo se alternam com os desabafos, doloridos, sobre tudo o que não está mais dando certo. Ninguém gosta de por um ponto final naquilo que já resultou em tão boas lembranças, tão prazerosas sensações.

            E talvez o namoro acabe por preguiça, falta de paciência, dedicação e insistência em resolver os problemas dos dois. Nós somos muito egoístas. Não gostamos de mexer na ferida e, se a relação já não traz mais vantagens, pulamos fora, muitas vezes sem manter contato com aquela pessoa que já foi tão…íntima.

            Mas existe amor que resiste a isso. Amor que resiste a todas as bombas que poderiam minar a relação; conversas e mais conversas pra ajustar o que está errado, conversas que nem sempre solucionam algo. E se resiste, é porque esse amor já transcendeu o egoísmo e não se trata mais de duas almas apaixonadas. São almas que habitam dois corpos, simultaneamente, compartilhando a vida. Compartilhando. Esse elo é invisível e muito difícil de ser quebrado.

            Quando já somos dois, não queremos mais voltar a ser um. O amor é, antes de tudo, um estado de duplicidade.

Evellyn Rojas

Comente!

Deixe uma resposta

Siga-nos!

Não tenha vergonha, entre em contato! Nós amamos conhecer pessoas interessantes e fazer novos amigos!